quarta-feira, 14 de maio de 2014

Resenha: Vinte Garotos no Verão, Sarah Ockler

Depois de uma atitude de Matt,a qual ela não esperava, Anna ficou tão entusiasmada que mal podia esperar por tudo que veria em consequência. Porém uma tragédia acontece e todos os sonhos e esperanças escapam por entre seus dedos como água.

A estória deste livro tem como protagonista Anna, uma garota tímida e bondosa que logo de início teve que encarar a amarga morte de seu grande e primeiro amor, Matt. Isso não spoiller fiquem tranquilos (rsrsrs risos), pela própria sinopse do livro sabemos que se trata de um assunto tão delicado que é a morte de uma pessoa amada. A família de Matt fica totalmente desestruturada com esta perda tão precoce, e a irmã dele a Framkie encontra uma maneira muito revoltada e irritante de encarar essa tragédia. Essa foi a personagem que mais me irritou durante toda a trama e quando você pensa que ela vai melhorar ela acaba com tudo.
Framkie é mimada e totalmente sem limites, os pais não sabem lidar com a situação e fingem não ver o modo autodestrutivo e arrogante dela. Ela mente muito, faz loucuras sem controle nenhum e quem aguenta toda essa barra e consequência é a Anna. A protagonista sofre calada todo o livro, é angustiante você saber todos os pensamentos e sentimentos que Anna não consegue colocar pra fora e se isola cada vez mais, com aquela aparência de que estar tudo bem. Matt, Anna e Framkie eram conhecidos como o trio inseparável e quando surge a possibilidade de ser um casal, Matt não quer revelar a sua irmã sobre a paixão que sente por Anna, primeiro ele diz que vai prepara-la para esta notícia, porém o destino tinha outros planos e este segredo morre com Matt, deixando Anna sem saber o que fazer, contar ou não contar eis a questão!!!
Mesmo Anna sendo aquela protagonista sofredora, que sei que muita gente detesta, eu consegui simpatizar com ela, não achei que ela sofria sem motivo, ou fazia birra. Acredito que pela idade ela até que resolveu bem alguns conflitos. Ela é uma personagem cativante, pela simplicidade e pela visão delicada e carinhosa que ela tinha de coisas tão comuns que não damos a mínima importância, mas que trazia um pouco de sorriso para seus dias.

A narrativa é bem fluída, a autora usa de uma delicadeza de tocar o coração para descrever os pensamentos de Anna, fato este que me fez gostar muito da leitura. Você acompanha o drama do ponto de vista dela, que achei que poderia ter sido melhor se o de outros personagens fossem incluídos e melhor explorados.
Numa determinada parte da estória, não entendi do porquê da autora dar ênfase a uma situação que tinha muito menos importância do que o drama real que aqueles personagens sofriam. É certo que os problemas foram resolvidos, fechando a trama, porém foi perdido muito tempo com assuntos que não mereciam tanto destaque, e a conclusão foi rápida quando deveria ter sido melhor desenvolvida.

Uma leitura rápida e que traz um drama que não é fácil para uma adolescente de 16 anos ter que lidar, a leitura vale a pena para você acompanhar a dor e tristeza de Anna e claro a capacidade dela de superar.

Quote:

“Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber a verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que você aprecia a preocupação delas, de que a vida continua.”  Pág.: 75

Nenhum comentário:

Postar um comentário