segunda-feira, 30 de março de 2015

Resenha: Tensão, Gail Mchugh


Emily Cooper se ver ansiosa, mas apavorada pela nova vida que terá após a morte da mãe. Ela se muda para cidade e vai morar com uma amiga. No seu primeiro emprego uma paixão irresistível surge e ela se vê presa a este homem arrebatador, porém ele não é seu namorado.

Eu nunca tinha lido nada desta autora e criei uma certa perspectiva na leitura, embora o enredo não me empolgou muito, mas ouvi falar que a autora é muito boa e acabei dando uma chance ao livro. A narrativa é de muito sentimento e profundidade, eu realmente senti toda a “tensão” proposta pela leitura. Não é um livro fácil de ler, pois a autora aborda temas que podem incomodar e bastante o leitor, na metade do livro realmente pensei que não iria gostar e cogitei a possibilidade de abandonar um pouco a leitura, não que a narrativa não seja fluida porque ela é, para mim foi difícil ler o dilema da protagonista, suas ações e principalmente os assuntos abordados pela autora.
Emily é uma boa moça de uma cidadezinha que vai para Nova York, lá com muitos sonhos ela tenta viver, embora ainda muito abalada pela morte de sua mãe. Ela tem um namorado, Dillon, que a ajudou bastante em todo o processo com a mãe de Emily. Porém esse seu “suporte” para Emily se torna um peso muito decisivo para a protagonista em suas escolhas. Dillon é um personagem bastante manipulador, egocêntrico e dominador, de inicio você até gosta dele, mas em conhecer mais dele, todo o encanto de outrora se desfaz. E aí é que começa o incômodo na leitura, o quanto Emiliy se atrapalha em suas decisões e como esse cara a manipula. Eu sinceramente tive muita vontade de bater na protagonista, mas ao mesmo tempo entendia toda sua angustia e seus motivos para agir desta maneira, não que concordasse com certas atitudes de Emily, mas entendi boa parte de seus dilemas e ações.
Então aparece na estória: Gavin, que é amigo de Dillon, mas que antes de saber quem Emily era já estava fascinado pela garota de olhos verdes que o desconcertava e encantava. Por ser muito determinado e teimoso ele investe em Emily e nessa tórrida paixão, mas claro ele tem sentimentos e sabe respeitar na medida do possível, afinal somos todos humanos. Gavin é um personagem apaixonante, embora tenha esse ar prepotente e cafajeste de ser, ele é um bom homem de um imenso coração e seguro de si. Em nenhum momento tive raiva deste personagem, a cada página me apaixonava pelo jeito, decisões e atitudes de Gavin.

Uma leitura sem muitas pretensões, mas que te traz temas bem polêmicos e atuais, leitura que incomoda um pouco e que te faz refletir sobre pessoas que agem e sofrem com esse tipo de pesadelo psicológico. É claro que não pode deixar de faltar cenas bem sexy's, quentes e muito sensuais, os protagonistas realmente tem química. Indico essa leitura, mas que leia desencanado e de mente aberta.

Quote:
“Ela está em algum lugar por aí, meu filho, e quando você a encontrar, saberá no instante em que a vir. Ela atrairá todos os seus instintos. Sem o menor respeito pela ordem natural das coisas, ela simplesmente ... vai aparecer.” Pág.:52


quarta-feira, 25 de março de 2015

Resenha: Boneca de Ossos






Autor: Holly Black
Editora: Novo Conceito (#irado)
Páginas: 224
Ano: 2014







Boneca de Ossos da Holly Black é o livro de estreia do selo #irado da Editora Novo Conceito, assim que eles liberaram a capa eu já morri de vontade de lê-lo.  A verdade que eu mal sabia de que se tratava o enredo do livro, confesso que só tinha em mente a imagem de uma história infanto-juvenil com uma capa que lembrava o livro Coraline – que depois descobrir que não tem nada a ver. 

O livro vai nos contar a história de três amigos: Poppy, Zach e Alice, que constantemente brincam de contar histórias fantasiosas com rainhas, piratas, sereias e todos os seres fantásticos que dominam suas mentes. Até que Zach acaba interrompendo a história por motivos pessoais (leia para descobrir!) e logo uma série de acontecimentos estranhos, envolvendo uma menina morta do século 18 e – adivinhem!? – uma boneca de ossos acabam levando a criançada para uma aventura real, como nunca imaginariam... 

Holly Black tem uma narrativa leve e agradável, conseguiu retratar bem a fase de transição entre infância e adolescência de forma sutil para o público-alvo do livro, apesar de criar um drama familiar para cada uma das crianças. Na verdade, a autora não dá muita relevância para esta questão, tanto que ao longo do livro não vi o desenvolvimento neste quesito; até porque, a personagem principal da história (a meu ver) é a boneca de ossos (ou a Rainha). Diversas situações surgem em volta da boneca e que uma dessas acaba decidindo um ponto crucial na vida dos amigos.

Em suma, é um livro com aventura, ação e mistério na dosagem certa, sobre lealdade, infância e amizade. Para quem procura um infantojuvenil com essas características, recomendo!

segunda-feira, 23 de março de 2015

Resenha: Para Sir Phillip, com amor - Julia Quinn

Eloise estava há bastante tempo sozinha, então percebeu que estava ficando mais velha e ainda sem se casar, mas será tão fácil um casamento por conveniência e comodidade?

Os Bridgerton, uma família bem a frente do século que viviam, tem suas peculiaridades e neste volume se trata de Eloise, uma jovem simpática, inteligente, mas encontra muitas dificuldades para consegui um marido à sua altura, ou pelo menos que a merecesse. Ela ama se comunicar através de cartas e quando sua prima distante falece, ela começa a trocar cartas com o viúvo dela. Sir Philip se mostra muito atencioso e a correspondência entre eles flui por um bom tempo. Cansado da solidão e com dois filhos órfãos para cuidar, Phillip resolve propor casamento a Eloise e a convida para passar um tempo no campo, onde mora, para se conhecerem melhor e o relacionamento poder dar certo. E é aí que tudo se complica, a difícil convivência entre esses dois personagens bem teimosos e únicos.

A escrita da Julia Quinn amadureceu bastante desde que escreveu o primeiro livro “O Duque e Eu”, percebi isso durante a leitura deste quinto livro. Não que antes fosse ruim, mas deu uma melhorada considerável. A autora se preocupa em mostrar os costumes da época e de uma maneira bem divertida você avança na leitura, devorando o livro muito rápido. Julia Quinn desenvolveu muito bem essa estória, tendo um “timming” perfeito para os acontecimentos, trabalhando muito bem com cada situação do enredo.
Os personagens têm suas características bem definidas que não se perdem durante a estória, cada um amadurece, mas não deixando de ser quem era, sendo melhor ainda do que foi antes. Sir Phillip é um homem com seus 30 anos, que passou por momentos muito difíceis. A morte de sua esposa, seu irmão e seu pai, cada um tem um impacto diferente no protagonista que o tornaram dessa forma, um pouco arredio, porém prático. Sir Phillip quer que tudo se resolva muito rápido, mas não contava com algumas complexidades de Eloise. Um homem que por várias tragédias está cansado e muito solitário, por conta disto negligência e muito seus filhos, num desespero que o torna muito perdido e ele tem certeza de poder se encontrar e ser feliz finalmente com uma esposa.
Eloise é uma personagem muito inteligente e independente demais para sua época. Vejo nessa protagonista traços de independências de algumas mulheres que culminaram para hoje em dia, na nossa sociedade, termos muitas liberdades.
Os dois de início acharam que fizeram um grande erro em se conhecer pessoalmente, que conviver todos os dias sobre o mesmo teto é mais complicado do que se pensava, ainda por cima quando Phillip tem duas crianças que constantemente imploram sua atenção. O romance entre eles é construído aos poucos, embora com as cartas Eloise que tivera a certeza de que estava apaixonada, quando a realidade lhe atingiu ela se sentiu bem diferente durantes várias discussões que tivera com este homem que agora era um completo estranho, bem distante daquele homem encantador e gentil que escrevera para ela. Durante o dia a dia, a tensão vai aumentando e claro o desejo entre eles também, quando ele beija Eloise tudo faz sentido novamente em seu mundo e ele deseja nunca mais parar, e ela se perde nas sensações que nunca provara antes.

Um romance que arranca suspiros, mas que te faz pensar muito como é difícil a arte de conviver, principalmente entre duas pessoas tão distintas, mas tão iguais que se esforçam para que tudo dê certo.

Quote:
“Eloise sussurrou seu nome uma última vez, oferecendo-lhe compaixão e compreensão e uma promessa de ajuda, tudo em uma única palavra. Esperava que ele ouvisse, esperava que entendesse.” Pág.: 126

domingo, 15 de março de 2015

Resenha: Raro e Precioso, Raine Miller

CONTÉM SPOILLERS

Raro e Precioso começa com muito amor, alegria e paixão deste casal que me conquistou desde o primeiro livro, algumas coisas acontecem e acompanhamos a rotina do casamento de Ethan e Brynne.

Com este quarto livro encerra a estória deste casal que ganhou muitos leitores. Neste volume vamos acompanhar a vida de casados dos Blackstone, porém não é um livro necessário, sinceramente o que tem de novidade daria para ter resolvido no último livro: “Olhos nos Olhos”(Resenha AQUI), mas se você como eu gosta de acompanhar séries e ter mais do casal que adorou ler a estória, então este livro é pra você.
Neste livro Ethan resolve dar um passo a frente e tentar resolver seus traumas, e claro é sempre muito difícil, mas como um homem apaixonado que é ele vai fazer de tudo para ser um homem melhor. Do outro lado temos Brynne que também tem seus traumas, e de repente surge uma oportunidade para que os fantasmas do passado voltem e ela ponha um ponto final, mas não vamos esquecer que nossa protagonista passou por situações bem difíceis e feridas que de vez em quando sangram, será que ela está pronta para deixar pra traz tudo isso e conceder o perdão, para poder ficar em paz? E não esquecendo uma grande tragédia que aconteceu a pouco tempo, que ainda faz a Brynne ficar triste e melancólica.

Eu diria que este livro foi mais da Brynne, como ela vai amadurecendo durante a leitura e como seu amor por sua família vai crescendo a cada dia, e ela tem que aprender a lidar com estes sentimentos novos e que às vezes ela se encontra sufocada e tem que aprender com eles a lidar dia após dia.
Nosso querido Ethan está mais apaixonado do que nunca, sempre gostei desse traço dele de personalidade: “Decidido”. Quando o Sr. Blackstone decide uma coisa é até o final e no que se concerne a Brynne seu amor é incondicional e eterno, visto que ele decidiu para sua vida.

A escrita da autora está bem leve e envolvente, mas como disse no início desta resenha, ela colocou pontos que poderiam ser resolvidos no outro livro, sem ter necessidade de um quarto livro. “Raro e Precioso” traz muito romantismo e claro: erotismo, as cenas sensuais de Brynne e Ethan é de pegar fogo!!!
Entretanto se você, como eu, é apaixonada por este casal, vai se deliciar com a leitura e conclusão dos protagonistas apaixonantes desta série romântica e dramática ao mesmo tempo.


quinta-feira, 12 de março de 2015

Lançamentos Editora Arqueiro - Sextante Março/2015

Capa do filme de Uma Loga Jornada, filme estréia este ano de 2015

Uma Longa Jornada, Nicholas Sparks
Sinopse:
Aos 91 anos, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele. Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra momentos de sua longa vida em comum.
Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga até um rodeio. Lá é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição.
Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família.
Aos poucos, Sophia começa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Isso se o terrível segredo que ele guarda não puser tudo a perder.
Ira e Ruth. Luke e Sophia. Dois casais de gerações diferentes que o destino cuidará de unir, mostrando que, para além do desespero, da dificuldade e da morte, a força do amor sempre nos guia nesta longa jornada que é a vida.


Bruxa da Noite, Nora Roberts
Sinopse:
Com pais indiferentes, Iona Sheehan cresceu ansiando por carinho e aceitação. Com a avó materna, descobriu onde encontrar as duas coisas: numa terra de florestas exuberantes e lendas centenárias – a Irlanda.
Mais precisamente no Condado de Mayo, onde o sangue e a magia de seus ancestrais atravessam gerações – e onde seu destino a espera.
Iona chega à Irlanda sem nada além das orientações da avó, um otimismo sem fim e um talento inato para lidar com cavalos. Perto do encantador castelo onde ficará hospedada por uma semana, encontra a casa de seus primos Branna e Connor O’Dwyer, que a recebem de braços abertos em sua vida e em seu lar.
Quando arruma emprego nos estábulos locais, Iona conhece o dono do lugar, Boyle McGrath.
Iona logo percebe que ali pode construir seu lar e ter a vida que sempre quis, mesmo que isso implique se apaixonar perdidamente pelo chefe. Mas as coisas não são tão perfeitas quanto parecem. Um antigo demônio que há muitos séculos ronda a família de Iona precisa ser derrotado.
Agora parentes e amigos vão brigar uns com os outros – e uns pelos outros – para manter viva a chama da esperança e do amor.


Segredos de Um Pecador, Madeline Hunter
Sinopse:
“Madeline Hunter tem uma capacidade excepcional de conduzir o leitor por romances ardentes que falam direto ao corpo, à mente e ao coração.” – Romantic Times Leona Montgomery foi criada na China. Com pai inglês e mãe portuguesa, aprendeu desde cedo a se adaptar aos
costumes de outras terras e adquiriu uma cultura e uma sofisticação incomuns às mulheres de seu tempo.
Por isso, quando o pai, já viúvo, morreu, deixando os dois filhos em uma situação financeira difícil, Leona assumiu os cuidados do irmão caçula e os negócios da família.
Trabalhando pela recuperação da Montgomery & Tavares, ela viajou por diversos países, negociou com homens rudes e enfrentou piratas. Recém-chegada a Londres, agora espera fechar parcerias comerciais e dar sequência a uma investigação que o pai não pôde concluir.
Mas estar em Londres significa algo mais. Sete anos atrás, Edmund, um naturalista inglês, deixou Macau à noite, depois de um beijo de despedida que Leona nunca esqueceu, e retornou à Inglaterra.
O que Leona não poderia imaginar era que Edmund na verdade é Christian Rothwell, o marquês de Easterbrook, um homem poderoso envolto em mistérios – e que talvez se beneficiasse com o fim das investigações de seu pai.
Dividida entre o dever e a tentação, é na cama do marquês que ela fará suas maiores descobertas.


A Transformação de Raven, Sylvain Reynard
Sinopse:
Florença, o berço do Renascimento. Um lugar culturalmente fervilhante, perfeito para quem quer esconder segredos ou está em busca de uma segunda chance. Como a doce Raven, que se muda para a cidade na tentativa de esquecer os traumas do passado e se dedicar à sua maior paixão: a restauração de pinturas renascentistas.
Um dia, voltando para casa do trabalho na Galleria degli Uffizi, sua vida muda para sempre. Ao tentar evitar o espancamento de um sem-teto, Raven é atacada. Sua morte parece iminente, mas seus agressores são impedidos e brutalmente assassinados. Assustada e prestes a perder os sentidos, ela só consegue vislumbrar uma figura sombria que sussurra: Cassita vulneratus.
Ao despertar, Raven faz duas descobertas perturbadoras: uma semana se passou desde o ocorrido e ela se transformou por completo. Quando volta ao trabalho, mais uma surpresa: alguém conseguiu burlar o sofisticado sistema de segurança da galeria e roubar a inestimável coleção de ilustrações de Botticelli sobre A divina comédia.
Em busca da verdade, Raven cairá diretamente nos braços do Príncipe de Florença – tão belo quanto poderoso, tão sedutor quanto maligno –, que lhe apresentará um submundo de seres perigosos e vingativos, cujas leis ela precisa aprender depressa se quiser se manter viva e salvar os que a cercam.


O Voo da libélula, Michel Bussi
Sinopse:
Na noite de 23 de dezembro de 1980, um avião cai na fronteira entre a França e a Suíça, deixando apenas uma sobrevivente: uma bebê de 3 meses. Porém, havia duas meninas no voo, e cria-se o embate entre duas famílias, uma rica e uma pobre, pelo reconhecimento da paternidade.
Numa época em que não existiam exames de DNA, o julgamento estende-se por muito tempo, mobilizando todo o país. Seria a menina Lyse-Rose ou Émilie? Mesmo após o veredicto do tribunal, ainda pairam muitas dúvidas sobre o caso, e uma das famílias resolve contratar Crédule Grand-Duc, um detetive particular, para descobrir a verdade.
Dezoito anos depois, destroçado pelo fracasso e no limite entre a loucura e a lucidez, Grand-Duc envia o diário das investigações para a sobrevivente Lylie e decide tirar a própria vida. No momento em que vai puxar o gatilho, o detetive descobre um segredo que muda tudo. Porém, antes que possa revelar a solução do caso, ele é assassinado.
Após ler o diário, Lylie fica transtornada e desaparece, deixando o caderno com seu irmão, que precisará usar toda a sua inteligência para resolver um mistério cheio de camadas e reviravoltas.



Editora Sextante

Como Vencer quando você não é o favorito, Rubens Teixeira
“Se você não nasceu em berço de ouro, se ainda não conseguiu entrar para uma boa universidade, se
ainda não tem um bom emprego, se não tem ou não teve o apoio da família, se não teve oportunidades, se sofre algum tipo de preconceito – nada disso é impedimento para que você vença na vida.
Talvez tenha que se esforçar mais do que os outros no início, abrir mão de períodos de lazer e ser mais estratégico para aproveitar todos os recursos que tem a seu dispor. O seu caminho pode não ser fácil, mas certamente ele é possível se você acreditar em si mesmo e agir para realizar seus sonhos.
Quem tem tudo de mão beijada muitas vezes não valoriza as próprias conquistas e talvez se considere tão seguro nas disputas que isso chega a representar uma desvantagem, porque os menos favorecidos estarão batalhando a cada segundo pela vitória e aproveitando as brechas que surgirem para mostrar seu valor.
Para vencer quando não é o favorito, você terá que examinar quais são seus pontos fortes e fracos, o que tem a seu favor e o que pode representar um empecilho. São as escolhas individuais certas, aliadas ao esforço pessoal, que trarão a sensação de que é possível enfrentar as circunstâncias adversas.”


Quarentena Amorosa,Angela Brandão
Terminar um relacionamento não é nada fácil. Quase sempre, a dor da separação vem acompanhada de um mundo de incertezas. E agora? Como fazer para seguir em frente?
Pensando nisso, a jornalista, cantora e compositora Angela Brandão propõe o que ela chama de
quarentena amorosa, um período de cuidados especiais para ajudar você a cicatrizar as feridas, cuidar de si e recuperar o amor-próprio.
Recheado de boas histórias e trechos de canções e poemas inspiradores, este livro apresenta 12 princípios práticos para sair da inércia que acompanha o fim de uma relação e dar início ao processo de cura.
Por mais difícil que possa parecer no início, a resposta que buscamos está em ações ao nosso alcance: criar hábitos novos, cuidar do corpo e da aparência, evitar atitudes radicais e apostar apenas em relações que interessam, sejam elas com pessoas, lugares, objetos ou memórias.
Dando os passos certos, um de cada vez, você pode descobrir que a quarentena era o período que você precisava para voltar a desfrutar a melhor companhia de todas. A sua.

Mais informações acesse Arqueiro AQUI e Sextante AQUI

terça-feira, 10 de março de 2015

Resenha: Quando Um Homem Ama Uma Mulher, Bella Andre

Depois de saber das oito estórias de amor dos oito irmãos Sullivan, nada mais justo que saber a estória de origem desses filhos maravilhosos: Jack e Mary Sullivan.

Vamos voltar um pouco no tempo, lá para os anos 70 em São Francisco quando Mary Ferrer achou finalmente um lugar para descansar depois de tanta badalação. Ela é uma supermodelo, que resolveu não mais trabalhar no meio glamoroso, e agora é independente, e determinada como sempre ela é, esta conseguindo aos poucos tentar ser feliz. Só que Mary não esperava ter um encontro arrebatador com Jack Sullivan, um engenheiro que descobriu nela como solucionar seus problemas para assim divulgar seu produto, do qual passou anos trabalhando, e ver o sucesso ser alcançado, mas não foi só isso, Mary realmente o arrebatou de todas as maneiras. Além de Mary ser muito bonita, há uma química muito grande entre eles, mas Mary prometeu nunca mais se engana com os homens e não quer seu coração machucado novamente.

A narrativa da Bella Andre continua bem fluída, tocante e sensual. A autora escolheu com cuidado construir estes personagens que tinham que ter as características dos filhos e passar um pouco de tudo que ensinaram e educaram seus filhos. O leitor consegue distinguir qual filho Sullivan obteve uma peculiaridade de seus pais. Mary é italiana, lindos cabelos negros e muito bonita. Sua personalidade é gentil e suave, que aprendeu ao longo dos anos como modelo, mas em alguma cena ela mostra seu temperamento italiano, bem explosivo. A protagonista tem um grande problema a ser resolvido com seus pais que ficaram na Itália, um ponto interessante que a autora desenvolveu bem e soube solucionar, mostrando a importância da família.
Jack é um homem gentil, encantador, inteligente, decidido e acima de tudo um bom homem. Mas não se engane com sua aparência passiva, ele é arrebatador e vai atrás do que quer lutando até as últimas consequências. O Sullivan tem uma família mais tranquila, sem muitas confusões e bem resolvidos com seus pais amorosos, irmãos que nem sempre se entendem, mas se ajudam da melhor forma possível.
E claro, como os romances da Bella Andre, não poderia deixar de faltar as cenas sensuais, que além de doce e românticas foram bem “quentes”. A química deles é inegável, além de serem feitos um para o outro. O livro é ambientado nos anos 70, então a autora coloca alguns detalhes que concerne a época, que me cativou totalmente durante a leitura.

Um romance inspirador. Sabe aqueles livros que você acaba a última página dando uns suspiros e agarrando-o ao peito? Foi exatamente assim que terminei este livro. O que posso fazer? Sou uma romântica incurável. Livro recomendado, e não só para quem leu os outros livros, se gosta deste gênero irá ter uma excelente leitura.

Quote:
“ – Eu tinha onze anos quando o filme “Cantando na Chuva” chegou à Itália – ela disse ao soltar do braço dele para girar ao redor do poste de luz, cantarolando a música-tema do filme. – Ainda é um dos meus filmes favoritos.” Pág.: 73

sexta-feira, 6 de março de 2015

Perfil do Autor #9: M. S. Fayes - Entrevista

M.S Fayes é nada mais, nada menos que uma escritora típica de romances. Antes de ser escritora, ela é uma leitora voraz. Da leitura e múltiplos momentos de insatisfação com determinadas cenas, surgiu a vontade feroz de criar suas próprias histórias e determinar os destinos de seus personagens.

De uma brincadeira fugaz, surgiu seu primeiro livro. De lá pra cá já vieram outros na cola e daqui pra adiante, a ideia é que o ritmo seja mais intenso ainda.

O objetivo dela? Agradar os leitores. Ela vai conseguir isso? Não com todos, é claro. Mas há leitores e escritores para todo mundo. E o mundo da leitura é tão vasto e diverso que nos permite explorar todas as vertentes possíveis.
Se a sua vertente é um romance doce, fofo, bacana e light? Então você está no lugar certo!

Quanto à biografia da pessoa? Ela é como toda mulher comum. Filha, esposa, mãe, dona de casa, fisioterapeuta por amor, professora de dublagem, desenhista, blogueira, tatuadora e escritora. Eu sei...ela reúne alguns itens aí que são um pouco incomuns, mas o que vale é que sua grande paixão é escrever. E escrever pra vocês!

Fonte: Site da autora

Entrevista com a Autora
1.Como surgiu a ideia de escrever na sua vida?
R. Se eu contar que foi logo depois de mergulhar de cabeça nos quatro livros da Saga Crepúsculo, vocês vão me bater? Então, foi bem por aí. Embora eu desde criança sempre tenha gostado de criar histórias em quadrinhos, eu nunca antes havia realmente pensado em parar e "opa, vou escrever um livro neste exato momento". Simplesmente aconteceu. Dezembro de 2011 eu comecei a escrever o Tapete Vermelho. Quatro meses depois ele estava pronto.

2.Quem são suas inspirações?
R. Bem, eu tenho minhas divas absolutas que serviram de inspiração para o meu estilo de escrita. Não que eu esteja pretendendo me igualar, mas foram estas autoras que criaram um conceito de romance na minha cabeça. Nora Roberts sempre. Amo os romances dela. Alguns melhores que outros, outros nem tanto. Judith McNaught, simplesmente maravilhosa na arte de criar roteiros e personagens inesquecíveis. Linda Howard, Sandra Brown, com seus romances policiais e intensos. Essas são as que sempre me vem à cabeça quando penso de onde surgiu a fonte de inspiração.

3.Muitas pessoas participaram no processo de escrita dos livros?
R. No Tapete Vermelho meu principal palpitador foi meu marido.
No Absoluto, o conceito da história e concepção dos personagens surgiu num domingo de fofoca com uma amiga minha, a Jujuba. Estávamos falando mal das mocinhas dos livros e bla bla bla. Uma discussão acalorada sobre o fato das mocinhas serem tontas e muitas vezes chatas. Daí falei: "Cara...vou escrever um romance onde a mocinha seja tanto bonita quanto inteligente e gente boa." Minha amiga do outro lado começou a instigar. E eu fui delineando os contornos do livro. Mocinha "prodígio" em direito. Advogado super poderoso e intenso. Paixão explosiva e simultânea. Um toque húngaro pra diferenciar. Daí vou explicar antes que você sequer possa fazer a sinapse da pergunta: Porque o cara é húngaro? Eu tinha acabado de reler os romances da Nora, os irmãos Stanilasky, que são russos. E eu achei fabuloso a dinâmica da família, o mix de cultura e tal.
Então, sintetizando, Jujuba e Alessandra passam a mão no livro, corrigindo erros jurídicos, acertando ponteiros e dando dicas de cena daqui e dacolá.

O Irresistível eu contei com várias betas e alfas. Hahahaha... captar opiniões sobre determinadas cenas, ou perfis dos personagens é sempre bom. Amplia o nosso horizonte. De todo, quem mais apalpou o Irresistível foi a Jujuba, novamente, porque ela é crítica pra cara...mba... E sempre tinha uma coisa ou outra pra malhar. Daí lá ía eu arrumar o bagulho.

4.Porque usar um pseudônimo?
R. Puxa...essa do pseudônimo eu já respondi várias vezes e adoro explicar a razão. Eu queria algo misterioso. Um nome que pudesse estar na estante de uma livraria e alguém falar: "oh...uau...MS Fayes...que sobrenome diferente..." . E pensei...poxa...se J.K. Rowling, C.S Lewis, J.R. Tolkien, e tantos outros podem ter pseudônimos com suas iniciais, porque eu também não posso? Daí surgiu: M de Marta, S. de Sousa e Fayes do mix de Fagundes e Lopes. O Y no meio foi só pra dar um charme.

Outra explicação plausível, porém meio louca. Eu tinha acabado de ler um romance da Sandra Brown, onde a locutora de uma rádio atendia pelo pseudônimo xis e ninguém conhecia a verdadeira dona da voz. Achei o máximo. Falei p editor do Tapete Vermelho e ele vetou a ideia. Droga...jogou água no meu castelinho de areia. Mas enfim, só nos Estados Unidos que uma coisa assim poderia funcionar bem né?! Por exemplo, o tanto de tempo que levou para que as pessoas descobrissem que Sylvain Reynard era um homem? Achei isso o máximo.

5.Alguns falam que o livro é erótico. Você considera sua trilogia como Erótico?
R. Não considero de jeito nenhum. Inclusive quando a galera se refere a ele assim eu até estranho. E o que já aconteceu com muitas blogueiras e leitores do Absoluto, por exemplo, foi que realmente pensaram que era um livro erótico, quando na verdade não é.
São românticos, sensuais em algumas partes, florzinhas e clichês se você considerar que falam de uma história de amor com final feliz.

Tive leitores que se recusaram a ler inicialmente achando que fossem eróticos. Quando leram, perceberam que na verdade são mais românticos. Eu me considero uma noviça ao escrever cenas eróticas. Eu prefiro muito mais o lírico, implícito e poético do que o gráfico, escrachado e sem sentido.

Leio romance erótico? Sim. Já li vários. Mas não são os meus habitués. Chega uma hora que a gente cansa de um determinado estilo, certo?

6.Como é sua relação com os leitores?
R. Eu acho que posso dizer que faço questão de me relacionar bem com cada um dos meus leitores. Eu dou atenção a cada pedido, fico feliz com cada elogio, me sinto nas nuvens quando alguém sequer me equipara a pertencer ao mesmo patamar que determinadas autoras.

Eu amo meus leitores de coração. Sem eles eu não estaria aqui, certo? Digo...como entrevistada...hahahahaah...

Uma boa enquete com os leitores é saber como eles veem as suas autoras do ponto de vista de atenção e carisma.

7.Porque a mudança de editora para publicação independente?
R. Meramente por uma questão contratual. A Editora Charme continua com os direitos do Absoluto, vem fazendo um trabalho maravilhoso e cuidando super bem do meu "filho" (Cada livro é um filho no mundo). Mas eu realmente resolvi que não tinha mais cacife para uma publicação compartilhada, onde eu entro com o investimento junto. E daí, para que o livro não ficasse encalhado, largado às traças e quem quisesse lê-lo, acabasse ficando a ver navios, resolvi eu mesma investir numa tiragem mínima, mas sem vínculo contratual, salvo comigo mesma.

Apenas isso. Infelizmente o livro não se manteve na editora do primeiro, mas eu quis honrar o compromisso de que tenho um contrato com elas, logo, preferi não apresentar as duas obras finais, a nenhuma outra editora, para evitar conflitos e etc.

Para não ficar largado no canto, resolvi jogar o Irresistível na praça e ver o que vai ser dele.

8.Como foi o processo de criação da história, já que ela se passa no meio jurídico, que não é sua área de atuação? Como foi a pesquisa?
R. Bom, nos enraizemos por aqui: meu marido é advogado, meus dois cunhados são, minha cunhada é, meu sogro é desembargador, e minhas duas amigas excepcionais são advogadas, no caso Jujuba e Alessandra Uzuelli.
Minha família por parte de marido inteira trabalha em órgãos judiciais.
Fiquei entre abordar um romance na área médica ( que eu poderia dar um caldo, já que sou fisioterapeuta, então alguns jargões seriam fichinha ), ou outra área. Acabei optando pela jurídica sabendo que teria uma fonte de apoio bem grande.
Jujuba fez todas as pesquisas relacionadas a algumas estruturas judiciais em Boston, já que um amigo é advogado lá.

Alessandra me enfiou goela abaixo as temporadas do The Good Wife para que eu pegasse o clima e, também criou certas situações processuais. Por exemplo, o caso da periguete que o Gabe defende no início do Absoluto. Foi ela que delineou e traçou a abordagem do caso.

Então eu pesquiso e averiguo tudo detalhadamente antes de usar determinada situação. No livro Irresistível eu fiz uma super pesquisa na estrutura de funcionamento da Secretaria de Segurança Americana.

9.O que você diria para quem está pensando em ler Irresistível? O que os leitores podem esperar?
R. Hunmmm...Acho que os leitores podem esperar situações um pouco mais intensas e impulsivas do que no livro 1. A área que escolhi para a Fay é a criminal, tanto que o par romântico é um promotor fodástico. Logo...o livro acabou seguindo um pouco a vybe dos personagens...huuuuu...espere e verás...quer dizer...lerás. Hehehe

Um livro romântico, engraçado, um pouco mais hot que o primeiro e mais intenso. Sei lá. Provavelmente vai ter quem goste da Fay, ou quem não goste. Muitos gostaram dela no livro 1, então espero que a ânsia em ler sua história seja satisfeita plenamente.

10.De todos seus livros, tem algum personagem que é seu favorito? Por quê?
R. Puxa. Duro escolher um filho... Posso dizer que amo o James, do Tapete Vermelho, de paixão. Sou completamente cativa pela Condessa, do conto do qual vos falei, e sou super fã da Fay. E claro, adoro a safadeza tranquila do Gabe Szaloki. Droga...acabei escolhendo um monte. Hihihi

11.Qual sua parte favorita ao escrever Irresistível?
R. Os diálogos entre o Alex e a Fay entre os lençóis. Adoro a parte em que eles tentam mostrar que já se conhecem bem.
Amei a cena ### onde aconteceu #### e acabou culminando no ###.
O # se for revelado é spoiler. Hahahahaha

12.O terceiro livro será sobre quem? E já temos previsão?
R. O terceiro livro é sobre a Lana, com certeza. Então pra quem gosta de livros onde a mocinha está gravidinha, pode ser que fique feliz neste. Acho inclusive, que é o mais fofo de todos os 3. Só acho...
Eu não tenho certeza se todo mundo já captou e detectou o mocinho do livro 3...
Previsão? Não sei. Vai depender do Irresistível mostrar seu potencial em conquistar os leitores. O importante é que o mais difícil já está resolvido. O livro 3 está prontinho da Silva.

13.Além do último livro da trilogia, tem mais algum livro que esteja trabalhando?
R. Tenho. Deixe-me ver em meus arquivos mentais. Eu tenho um finalizado super gracinha; Estou escrevendo o Tapete Vermelho sob o POV do James, aquele lindo; Estou escrevendo uma possível sequência para o TV, e algumas esquetes que já escrevi o esboço e basta apenas soltar o dedo no teclado.
Fora a Condessa, que já está tinindo e pedindo socorro pra sair do computador!

14.Mande um recado para as leitoras.
Oi Leitoras...então...espero que vocês possam dar cada vez mais chance aos livros nacionais, que vocês possam passar a ter orgulho das autoras que temos no Brasil ( estou tentando me incluir no grupo...abafa o caso), que vocês leiam meus livros e que curtam os personagens com carinho.

Apreciem sem moderação alguma e se for ler, não dirija. Quero dizer...não dirija lendo...pode ser perigoso. Hahahahaha


Acesse ao site: http://www.msfayes.com/

quarta-feira, 4 de março de 2015

Book Trailer: Irresistível, M. S. Fayes


Livro 02: Irresistível
Autora: M. S. Fayes
Páginas: 264
Trilogia da Lei 02

Sinopse: Poderia haver algo que freasse a impetuosa Fay Williams? Aparentemente apenas um homem com pulso firme poderia domar aquele furacão em forma de mulher. Quando Fay e Alex se encontram pela primeira vez, faíscas voam para todos os lados, deixando marcas em ambos. Eles nunca poderiam esperar que suas carreiras acabariam se encontrando tão próximas.

Ao invés de aliados, eles se viram oponentes na batalha travada entre seus desejos e seus corações. O único que podiam atestar afinal era que, o amor é simplesmente irresistível em toda a sua essência.



Fonte: Skoob

Book Trailer: Irresistível


Mais sobre a autora e seus livros: http://www.msfayes.com/