Páginas

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Momento Romance de Banca #33: Casey, Lori Foster

Sinopse: Dessa vez, Casey Hudson, filho de Sawyer e tão bonito e envolvente quanto o pai, está em um romance de tirar o fôlego. Quando jovem apaixonou-se por Emma Clark, uma adolescente problemática e com má reputação na cidade. Ela, no entanto, não foi capaz de corresponder aos sentimentos dele e preferiu mudar-se de Buckhorn. Oito anos depois, com o retorno dela à cidade Casey decide que deve lutar por seus sentimentos e conquistar Emma para sempre. Fonte: Skoob
 
 Voltando a sua cidade Natal por um problema familiar, Emma se depara com fantasmas do passado que podem botá-la pra correr da cidade que fora seu lar. Apesar de tudo isso Casey está mais que disposto a fazê-la ficar e entender o motivo de sua partida a anos atrás.
A trama é muito bem construída e desenvolvida, a protagonista sofre um drama familiar bem difícil quando adolescente, mas consegue superar e construir seu próprio caminho, porém fazendo algumas escolhas que acabam deixando coisas importantes pra trás, como sua amizade e paixão por Casey. Emma amadurece dolorosamente, e fica mais forte, independente e consegue se defender, não deixando ser atingida por ninguém mais, e isso inclui quem mais a magoou.
O mocinho da estória é bem o príncipe encantado, porém achei ele muito realista, porque embora ter tido uma ótima criação ele enfrenta sozinho seus dilemas com a mãe que o abandonou e sofre bastante pela partida brusca de Emma.

O interessante desta estória é que a autora deixa seus personagens resolverem seus traumas e dramas individualmente e quando isso acontecem, eles podem conviverem juntos e aos poucos se curando, principalmente pela paixão adormecida que com o tempo vai florescendo o amor.
Os personagens secundários são bem importante para o livro, tendo participações que até roubam as cenas dos principais, cada um tem sua importância e diferencial na estória.
A autora também nos faz refletir sobre o machismo, criando uma personagem feminina bem independente e de bem com sua sexualidade, e ainda existem momentos na trama em que ela põe mesmo o machismo na discussão como forma de protesto e reflexão.

Um romance de banca com personagens apaixonantes, mocinha “Girl Power” e um romance bem construído e amadurecido, dando credibilidade a estória.

Obs.: O livro é quinto volume de uma série: Os Irmãos de Buckhorn #5, porém a ordem da leitura pode ser aleatória, pois os livros são independentes, podendo começar por qualquer um.

Quote:
- Ninguém nunca falou dos rapazes que iam para cama comigo. Mas uma mulher…” Pág.: 149

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Opinião: O Livro dos Ressignificados, João Doederlein (@akapoeta)

Sendo bem leiga em poesia, me arrisquei nesta leitura sem nenhuma expectativa. Realmente peguei o livro só para folhear, porque seu projeto gráfico é muito bonito. E tal foi minha surpresa ao ser pega por uma avalanche emocional que não consegui parar de ler.
O livro tem muito de particular do autor, mostrando além do dicionário uma forma bem subjetiva de cada palavra.

Dividido em Jardim, Zodíaco, Coração, Mente, Cidade e a História de nós dois o leitor consegue se identificar com a subjetividade em cada palavra, de um jeito único e muito particular de cada um.
A cada parte em que é dividido, as palavras fazem e não fazem sentido, levando a reflexões e questionamentos que vão além da metafísica, transportando leitor do físico ao espiritual.

Como falei o projeto gráfico do livro é incrível de maneira simples, mas bem conceitual é bem agradável visualmente.
O livro abraça sua alma, da mesma forma que te dá um soco no estômago e esfrega aquilo que não queremos ver “bem na sua cara.”
Sem me estender, recomendo o livro, porque ele é uma experiência literária única e bem íntima, um livro que não pode e não deve ficar parado na estante, tem que ser compartilhado, ele tem que ser um livro viajante por este mar de emoções incríveis que são os seres humanos.

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Retrospectiva: Leituras 2017 por Dany

Aqui vou relembrar minhas boas leituras de 2017, em categorias que eu criei.

*Um livro grande em todos os sentidos da palavra!!!

E o Vento Levou… Margaret Michell
Eu comecei a lê-lo no final de 2016 e só o terminei em janeiro de 2017, um livro que exige concentração, dedicação e uma verdadeira relação de amor e ódio com a protagonista complexa, linda, girl power e sacana chamada “Scarlet O’Hara”, que para mim virou Diva e Demônio ao mesmo tempo rsrsrrs O livro tem quase 1000 páginas em letras bem pequenas e capítulos enormes. Uma leitura que deu trabalho, mas que valeu muito ter lido!!!
P. S.: Até quero reler, porém não agora daqui há alguns anos.

*Um Livro Sem Esperança!

Reparação, Ian McEwan
Sem esperança que eu falo é um livro bem realista e que o final não é feliz. Ao finalizar esta leitura fiquei meio deprê e sem esperança na humanidade. Claro que temos pessoas boas no livros, mas elas não tem um final legal. Vou parar por aqui para não dá spoiller. Mas aconselho a ler este livro porque ele meio que acorda você pra vida! Resenha no blog AQUI


*Um livro clássico em que a autora denuncia o machismo!

A Inquilina de Wildfell Hall, Anne Brontë
Verdadeiramente um livro que mostra que a mulher não é só um adorno, um objeto, uma mercadoria. Anne Brontë defende a mulher daquela época que sofria vários abusos não só de seu marido mas de toda uma sociedade e até de outras mulheres também. Um livro empoderador e muito bem escrito, numa época em que o machismo reinava e abusava, não tão diferente assim de hoje!!

*Um livro que aquece o coração!

O Sol é para Todos, Harper Lee
Escrito numa época e lugar de muito racismo e preconceito, a autora descreve tudo através do olhar de uma criança super inteligente e que foi criada sem preconceitos ou discriminação. Livro que deveria ser obrigatório em escolas e que pretendo reler várias vezes. Resenha no blog AQUI

*Um livro de Mocinho apaixonante

Escândalos na Primavera, Lisa Kleypas
Este é o quarto livro da série “As quatro estações do amor”, o protagonista deste livro é simplesmente amorzinho, ele já nutre um amor platônico pela mocinha há muito tempo e agora ela começa a olhar pra ele com outros olhos. Resenha no Blog AQUI

*Um Livro, Duas Épocas

A Rosa da Meia-Noite, Lucinda Riley
Livro que comecei a ler sem expectativas e que me surpreendeu em vários aspectos. Sua escrita envolvente e encantadora me fez virar fã da autora. Neste livro ela escreve o passado e o presente de maneira clara e sem confusão, o leitor sabe exatamente os capítulos de cada casal de protagonista e fica ansiosa por estas “viagens no tempo”. Resenha no blog AQUI

*Finalizando Série, majestosamente…

Par Perfeito, Nora Roberts
Uma de minhas escritoras favoritas, Nora finaliza está série muito bem, trazendo um casal que acompanhamos desde o primeiro livro e que me gerou altas expectativas que foram atendidas. Resenha no blog AQUI

*Guerreiros “Fellings”

O Mais Desejado dos Highlanders, Maya Banks
O ano de 2017, foi o ano que me apaixonei por estes guerreiros medievais escoceses, que li uns 3 a 5 livros desta temática. E este livro em especial me cativou muito com uma protagonista realmente lutadora que passou por muito sofrimento, mas vence e um guerreiro que não tem nada de machista.

*Um Livro Tocante!

O Silêncio das Águas, Brittainy C. Cherry
O falar deste livro emocionante que me fez chorar e derreter meu coração em muitos capítulos. Um livro tão bom que não consegui escrever resenha, pois não sabia por onde começar devido sua grandiosidade e complexidade. Um livro que tocou minha alma, pois a autora fala sobre muitos temas complicados e que pode ser a realidade de muita gente.

*Romance de Época Inovador

Quando a Bela Domou a Fera, Eloisa James
Como leio muitos romances de época, geralmente encontramos mais do mesmo. Porém este romance surpreendeu porque ela usa a estória da Bela e a Fera de uma maneira bem diferente, principalmente pela época que se passa e a personagem da Fera. Realmente me surpreendeu.

*Romance de Época Queridinho!!!

Nove Regras a se ignorar antes de se apaixonar, Sarah Mclean
Eu já tinha lido uma outra série desta mesma autora e amado, e com este primeiro livro eu amei, um romance bem despretensioso com uma protagonista bem a frente de seu tempo, e muito apaixonada em tudo que faz. Também foi muito bom ver a mudança no seu par romântico e como o amor o modifica.

*Um Clássico de um país diferente

Anne de Green Gables, L. M. Montgomery
Eu leio muitos clássicos EUA/Inglaterra, então dei uma mudada lendo um clássico Canadense. A escrita maravilhosa da autora me cativou nos primeiros capítulos, num romance infanto juvenil que traz muitas lições de vida. Resenha no blog AQUI

*Um romance de autora favorita

A Força que nos atrai, Brittainy C. Cherry
Esse é o terceiro livro que leio da autora, que me surpreendeu muito com seus temas dramáticos e muito bem desenvolvidos e resolvidos durante a leitura. Além do romance a autora levanta muito a questão familiar neste livro que faz o leitor refletir bastante.

E você teve boas leituras em 2017? Comenta aqui vou adorar saber!!!! E que venham leituras ainda melhores em 2018!!!!!

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Capas Pelo Mundo #8: O natal de Poirot



Olá, pessoal! Eis aqui mais uma coluna voltando das cinzas (rs). O natal já passou, mas ainda em clima trouxe para vocês capas pelo mundo desse livro da ilustre Agatha Christie: O Natal de Poirot. Você pode conferir a resenha de Dany aqui, que aliás, é um livro muito legal e super recomendo a leitura. 

--------------------- BRASIL --------------------
Resultado de imagem para o natal de poirotImagem relacionadaResultado de imagem para o natal de poirotResultado de imagem para o natal de poirotResultado de imagem para natal poirot capas mundo


Como de costume trago a versão brasileira e por ser um livro publicado em originalmente em 1938 e no Brasil em 1986, apresenta diversas edições. Da esquerda para direita temos da editora L&PM pocket,  a da editora Nova Fronteira (edição antiga, que inclusive é a edição que possuo), a da Nova Fronteira (nova e de capa dura), uma antiga da Record com formato pocket e a edição da Record em capa dura. Adoro o trato que a Nova Fronteira teve com os livros da Agatha ultimamente, são quase tão bonitas quanto as edições pretas em capa dura da Record.


-                                         -------------------- PORTUGAL ---------------------
Resultado de imagem para o natal de poirot livroResultado de imagem para o natal de poirot livro PORTUGALResultado de imagem para o natal de poirot livro PORTUGAL

Adorei a primeira (uma das mais antigas!), já as outras achei mais do mesmo. 


                                           -------------------- UK & EUA  -------------------- 
Resultado de imagem para christmas poirot agatha christieResultado de imagem para poirot christmas japan coverChristie & Cocktails: Hercule Poirot’s ChristmasResultado de imagem para christmas agatha christie uk

A maioria das edições dos EUA acabam se tornando padrões aqui no Brasil, porém encontrei algumas diferentes. Eu simplesmente adorei essa edição antiga (terceira) e o design da capa da primeira achei bem legal. Entretanto, a última está medonha. 


                                        -------------------- ESPANHA  -------------------- 

Vou confessar que eu acho medonha essas capas com Poirot como modelo. 



                                             -------------------- FRANÇA -------------------- 
Resultado de imagem para Noël agatha christieImagem relacionadaResultado de imagem para Noël agatha christie


Por fim, as edições francesas que seguem num tom meio minimalista. As demais capas apresentam o mesmo design que as americanas (e brasileiras), gostei de ver como as primeiras edições eram. Quais vocês gostaram mais? Feliz Natal (atrasado!), pessoal.  





quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

DICA: Cinco Séries Para Assistir Antes Do Ano Acabar

Mais um final de ano chegando e a lista de livros por ler só aumenta, como também as maratonas de séries incríveis. Como se não bastasse sempre estar lendo, também a Mari e eu nos divirtimos muito assistindo séries. Aqui nós indicamos cinco seriados curtos, rápidos, viciantes e muito bons que você assiste super rápido e se diverte.
Portanto prepara o lanchinho e se joga no sofá porque ainda da´tempo de assistir essas séries.

Atypical (2017)
Sam é um jovem autista de 18 anos que está em busca de sua própria independência. Nesta jornada, repleta de desafios, ele e sua família aprendem a lidar com as dificuldades da vida e descobrem com o verdadeiro significado de "ser uma pessoa normal".

Uma série bem diferente com um protagonista autista, tentando que lidar com outras pessoas em meio a complicada vivência familiar.
O que mais gostei nesta série foi em que mostra a vida pela perspectiva de um autista, em saber como ele lida com as dificuldades diárias que é viver em sociedade. A série é muito sensível e nos transporta a sentir na pele o que uma pessoa, nestas condições, deve enfrentar; na escola, com amigos e família.

Glitch (2015)
Passando em frente a um cemitério da pequena cidade de Yoorana, o jovem Beau testemunha seis cadáveres levantarem de seus respectivos túmulos. Ao atender ao chamado, o sargento James Hayes e a Dra. Elishia McKeller levam os ‘mortos’ ao hospital, onde exames preliminares revelam que eles apresentam uma saúde perfeita. No entanto, não conseguem se lembrar do que aconteceu ou o que estão fazendo ali. Entre os mortos está Kate, esposa de James que faleceu há dois anos.
Até que consiga descobrir o que está acontecendo, James toma a decisão de proteger o grupo, escondendo-os de seus colegas e dos demais moradores. No entanto, os seis não são os únicos a retornarem. Pelo menos mais duas pessoas também voltaram: Paddy Fitzgerald, um velho irlandês racista que teria morrido há quase 100 anos e é encontrado perambulando pelas ruas; e um desconhecido, chamado de John Doe.

Trazendo uma ficção científica e com um pouco de sobrenatural, a série vicia no primeiro episódio. Além da polêmica teoria de trazer pessoas mortas a vida, a série explora todas as implicações disto nas vidas das pessoas que perderam seus entes queridos para morte. Como será a reação de um viúvo que já se casou novamente, seguiu em frente e de repente tem sua esposa morta de volta? O quanto o luto pode ou deve durar? Se esta certeza da morte, fosse abalada? Muitas discussões e reflexões estão inseridas a cada episódio. A série tem duas temporadas até agora, cada com seis episódios, então você assiste bem rápido.

Anne With an “E” (2017)
Baseada no romance Anne of Green Gables da escritora Lucy Maud Montgomery, a série acompanha Anne Shirley (Amybeth McNulty), uma jovem órfã do final do século XIX, que teve uma infância abusiva entre orfanatos e casas de estranhos. É quando a garota é enviada (por engano) para casa dos irmãos Marilla (Geraldine James) e Matthew Cuthbert (R.H. Thomson) – em pouco tempo, a menina conquista todos com seu carisma, inteligência e imaginação brilhante.

Uma adaptação de um livro clássico canadense, traz a simplicidade da vida no campo do século 19 como pano de fundo. Anne uma órfã com uma imaginação incrível e muito inteligente, ganha os corações não só de Avonlea, mas dos telespectadores também.
A série tem uma fotografia linda e traz muitas lições de vida.
Tem resenha aqui no blog do livro e nela falo da série também, é só clicar AQUI

 13 Reasons Why (2017)
A série é uma adaptação do livro Thirteen Reasons Why ( Os 13 Porquês em português) escrito por Jay Asher e publicado originalmente em 2007. A história conquistou reconhecimento por abordar temas delicados: depressão e suícidio, males cada vez mais presentes em nossa sociedade. A adaptação em forma de série estreou esse ano e alcançou altos níveis de aprovação do público, com um elenco talentoso e um roteiro maduro transmitiu habilmente sua mensagem e deixou para todos um alerta.
Pessoalmente faço a indicação, pois acredito que uma das chaves para melhorarmos a convivência e a vida uns dos outros é a empatia. Se pararmos para pensar um pouco em como o outro se sente, em como nossas ações e palavras influenciam e penetram nos sentimentos do próximo talvez façamos a diferença. Não digo com isso que iremos nos responsabilizar pelas ações e vida de outrem, mas que busquemos viver de maneira mais compassiva, sempre lembrando que por baixo da pele existe alguém com sentimentos, pensamentos e expectativas, todos temos uma luta pessoal.

Mindhunter (2017)
Para os fãs de um bom thriller policial, 2017 nos apresentou Mindhunter série ambientada nos anos 1970 e que conta a história de dois agentes do FBI numa empreitada inovadora, conhecer e desvendar os mistérios das mentes criminosas mais cruéis e assim proporcionar um avanço da psicologia criminal estabelecendo padrões de pensamento, comportamento e ações que futuramente podem fazer a diferença na identificação de indivíduos com distúrbios psicopatológicos pertubadores e prejucidiais a população.
A série nos faz mergulhar no sombrio, fazendo-nos pensar no inimaginável com relação ao comportamento humano, em até que ponto a natureza animal do ser humano pode imergir ferozmente aliando-se a racionalidade com emoções crueis, transformando o homem num predador sem precedentes. Por meio de entrevistas e análises de casos vamos descobrindo as características dos criminosos e vendo como as descobertas influenciam, fascinam e perturbam tanto os personagens como os espectadores. E para quem quiser apostar numa dobradinha a série é uma adaptação do livro Mind Hunter: Inside the FBI’s Elite Serial Crime Unit (Mindhunter: O Primeiro Caçador de Serial Killers Americano em português) de John E. Douglas e Mark Olshaker.

Dicas por Dany & Mari
Todas sinopse são do banco de serie.

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Resenha: O Natal de Poirot, Agatha Christie

Sinopse: Véspera de Natal. A reunião da família Lee é arruinada pelo barulho ensurdecedor de móveis sendo destroçados, seguido de um grito agudo e sofrido. No andar de cima, o tirânico Simeon Lee está morto, numa poça de sangue, com a garganta degolada. Mas quando Hercule Poirot, que está no vilarejo para passar o Natal com um amigo, se oferece para ajudar, depara-se com uma atmosfera não de luto, mas de suspeitas mútuas. Parece que todos tinham suas próprias razões para detestar o velho... Fonte Skoob

Tinha tudo para ser uma típica e tradicional reunião de família para o natal, porém quando o assassinato do patriarca é descoberto, bem depois do jantar de natal, as pessoas revelam que realmente são e o que querem. Poirot, que por acaso estava conversando com o superintendente do caso, resolve ajudar a polícia a desvendando o crime e quem realmente matou Simeon Lee, seus filhos são culpados? Suas noras? Ou um completo estranho?
Esse é o terceiro livro da autora que leio, com o mesmo detetive, estando mais ambientada a escrita e modo como Christie conduz esse tipo de crime/mistério, fui formando teorias e posso dizer que cheguei bem próxima do verdadeiro culpado(a), duvidando desta pessoa várias vezes na trama.

A trama tem vários mistérios e suspense que incita o leitor a continuara sua leitura, para descobrir quem realmente esta por trás deste ato tão cruel. Como o romance é ambientado na época natalina, temos os elementos principais da data como a família, este grupo de pessoas tão diferentes e difícil de se conviver em paz. A autora expõe a falsidade de alguns em sempre dizer que é época de paz, amor, perdão e família, mas que passa o resto do ano se odiando e que realmente não queria se reunir a sua família no natal. Claro que temos outras pessoas que acreditam neste sentido natalino do perdão e amor, mas que muitas vezes você até duvida.
E em todo esse drama familiar Poirot esta inserido coletando dados aqui, sugerindo armadilhas para desvendar segredos ali e tentando traçar o perfil de cada indivíduo.
Continuo admitindo que este detetive não é meu favorito, não me julguem, só não sou fã da arrogância deste e como a superinteligência resolve tudo no final!! Mas confesso que gostei muito da leitura e até simpatizei mais com o Poirot.

A dama do crime”, Agatha Christie, nos traz uma narrativa instigante, honesta, natalina e bem familiar, afinal de contas, todos temos problemas com nossos “entes queridos”!

Quote:
Ele a observava, fascinado a cada momento por aquela boca doce e cruel, curvada para cima.” Pág.: 17

sábado, 23 de dezembro de 2017

DICA: Seis Filmes Para Assistir No Natal

Contagiada pelo espírito natalino selecionei seis dicas de filmes para assistir no natal, filmes que aquecem o coração e confortam a alma. Com direito até a rolar uma "lagriminha", sou muito boba assistindo estes filmes no Natal e espero que você também seja. Não só porque é Natal, mas que este sentimento seja praticado o ano inteiro de bondade, amor, paz, alegria, família e prosperidade.

The Spirit of Christmas (2015)
Uma mulher se apaixona por um homem que está de certa forma indisponível, afinal ele é um fantasma. 

Daniel morre num natal quando esta voltando para sua pensão. Porém, após sua morte, por 13 dias ele volta e consegue viver durante esses dias em sua pensão. Ele não se lembra de como morreu e nem porque isso acontece. Kate, uma advogada cética e sem emoções na vida esta contratada para vender a pensão, porém Daniel não facilitará o seu trabalho. Um filme de clima natalino que resgata algumas tradições da época e mostra a importância do perdão, de buscar a verdade e que a capacidade de amar não se aprende, ela é despertada.


A Holiday Engagement (2011)
Hillary é abandonada pelo noivo uma semana antes da sua família conhecê-lo e, temendo a reação da mãe, ela contrata um ator para representar o papel do namorado. Será que eles conseguem enganar todo mundo?

No Natal, Hillary deve ir para casa apresentar seu noivo e contar como sua vida tem prosperado em todas áreas. Porém inesperadamente ela perde o emprego, e seu noivo dá o fora. Com medo da reprovação, ela decide pagar um noivo de aluguel. E é óbvio que muitas atrapalhadas acontecerão.
O filme é fofo, com aqueles “eu te amo” instantâneo, só porque é natal. Porém muito bom de assistir, não só o romance como também a importância de ser verdadeiro, principalmente com os que você ama.

O Príncipe do Natal (2017)
Uma jovem jornalista recebe um belo presente de Natal ao ser enviada para cobrir a história de um príncipe prestes a se tornar rei.

Típico filme sessão da tarde, Amber (a jornalista) se mete em muitas confusões para conseguir sua grande matéria. Mas o filme mostra que essa busca pelo sucesso pode ferir e magoar muitas pessoas até próximas de você, será que vale a pena?
E temos também um romance fofo do príncipe com a plebeia, foi bem construído, os dois se conhecem aos poucos e se apaixonando. O filme enaltece a família, que nem sempre é unida pelo sangue, mas a família que nos adota, nos acolhe e que nos ama de verdade acima de tudo.

A Christmas Carol (2009)
Baseado no clássico conto de Charles Dickens, o filme conta a história do velho e rabugento Ebenezer Scrooge (Jim Carrey, de "Sim Senhor!"), que na noite de Natal recebe em sua casa a visita de três fantasmas que irão lhe mostrar como ele está desperdiçando sua vida e que ainda há tempo para mudar.

Um de meus filmes e livros favoritos, este não poderia faltar nesta lista. Sem me estender muito, porque tem resenha no blog do livro (Clique AQUI) e do Filme (Clique AQUI). O que Charles Dickens escreveu no séc. 19 é memorável e verdadeiro até nos dias de hoje. Em que uma vida sem amor, sem bondade não nos leva a nada de bom.

O Estranho Mundo de Jack (1993)
Jack Skellington (Chris Sarandon) é um ser fantástico que vive na Cidade do Halloween, um local cercado por criaturas fantásticas. Lá todos passam o ano organizando o Halloween do ano seguinte mas, após mais um Halloween, Jack se mostra cansado de fazer aquilo todos os anos. Assim ele deixa os limites da Cidade do Halloween e vagueia pela floresta. Por acaso acha alguns portais, sendo que cada um leva até um tipo festividade. Jack acaba atravessando o portal do Natal, onde vê demonstrações do espírito natalino. Ao retornar para a Cidade do Halloween, sem ter compreendido o que viu, ele começa a convencer os cidadãos a sequestrarem o Papai Noel (Edward Ivory) e fazerem seu próprio Natal. Apesar de argumentos fortes de sua leal namorada Sally (Catherine O'Hara) contra o projeto, o Papai Noel é capturado. Mas os fatos mostrarão que Sally estava totalmente certa.

A animação bem dark, e que não é dirigida pelo Burton e sim pelo Henry Selick, ganha o coração de muitas pessoas. Jack que sempre festeja seu Hallowen, afinal ele mora no país do Hallowen, quer estar no lugar do Papai Noel, só que isso não vai dar certo. Com lindas músicas e cenas bem divertidas e outras nem tanto assim, é uma animação para adultos.


Olaf em uma Nova Aventura Congelante de Frozen (2017)
É a primeira temporada de festas de fim de ano desde a reabertura dos portões e Anna (Kristen Bell) e Elsa (Idina Menzel) organizam uma festa para toda a Arendelle. Porém, quando as pessoas da cidade saem cedo da comemoração para desfrutar seus costumes prórprios, as irmãs percebem que não possuem tradições familiares. No entanto, Olaf quer tentar mudar essa situação e trazer um Natal feliz para as meninas. Ele decide viajar pelo reino para trazer para o castelo as melhores tradições locais.

Para todos os amantes de Frozen e musicais, este curta de 22 minutos encanta e emociona com Olaf, Elsa e Ana tentando resgatar sua própria tradição de Natal. Com lindas Canções e ótimas lições sobre o verdadeiro sentido do Natal, o desenho encanta toda a família.

Todas as sinopses do Filmow.

E você? Quais são seus filmes favoritos para ver no Natal?