domingo, 13 de abril de 2014

[RESENHA] A menina que fazia nevar - Grace McCleen


Primeiro livro dessa autora que eu li. Ganhei em uma promoção da editora Paralela no ano passado, e só nesse mês que eu resolvi lê-lo.

Pense em uma historinha leve, com linguagem poética e cheia de fofuras. Judith, a protagonista de dez anos do livro, recebe uma bela dádiva dos céus. Deus passa a conversar com ela e a conceder a menina o dom de realizar milagres.

A trama é muito bem feita, rápida, sem enrolação. A construção do pensamento, de ideias e conceitos super complexos são simplificados pela autora, a um nível que qualquer criança entende. Deus, milagres, amor, perdão, poder, Armagedom, profecias... e fé. Coisas tão difíceis de se explicar, e Judith com sua maquete feita de sucata nos faz entender e refletir sobre tudo isso.

Esse é um livro que te engana. Ele parece bobo, parece simplista, parece maluco. Mas ele é complexo, ele ensina e educa, ele te prega coisinhas na cabeça, que depois são difíceis de sair. Como diz mesmo na capa (muito fofa, por sinal) "Transbordante de tensão e ternura, este romance é em si um pequeno milagre."

E o final, surpreendente! Dá medo, dá pena, dá dúvida. Do tipo de final que vem semi pronto. Você e seu próprio repertório de vida é quem vai moldar e fechar a história. Acreditar ou não, duvidar, pensar, pensar, pensar... Lindo. Leve e gostoso de ler! Indico mil vezes. <3

QUOTES:
"Milagres não têm que ser coisas grandes e podem acontecer nos lugares mais improváveis; os milagres dão mais certo com as coisas simples. Paulo diz: 'a fé é a garantia dos bens por que se esperam, a prova das realidades que não se veem', e se a gente tiver só um pouquinho, outras coisas vão acontecer também. Às vezes mais do que sonhamos."
"Porque a fé é igual à imaginação. Ela vê uma coisa onde não há nada, dá um salto e de repente você está voando."
"...então comecei a falar com Deus. Sempre achei que era só uma questão de tempo até Ele responder. Pensava nisso como uma chamada telefônica de longa distância. A linha era ruim, havia passarinhos sentados em cima dela, caía uma tempestade, então eu não conseguia entender o que a outra pessoa estava dizendo, mas nunca duvidei de que, no fim, iria ouvir. Aí um dia os pássaros saíram voando, a chuva parou e eu ouvi."
"E foi assim que aprendi que tudo é possível (...). Se você acha que não, é só porque não consegue ver como está perto, como só precisa fazer uma coisinha que tudo vai começar a acontecer para você. A fé é um salto: você está aqui, a coisa que você quer está lá. Há um espaço entre você e ela. Você só tem que saltar. Andar sobre as águas, mover montanhas e trazer os mortos de volta à vida não é difícil. Você dá o primeiro passo e o pior já passou, você dá o seguindo e já está na metade do caminho."

PS: O título original do livro, "The land of decoration" também é bem fofo, não é? E a recomendação "Este conto extraordinário me agarrou bem pela garganta."

 



Aldrêycka Albuquerque

Nenhum comentário:

Postar um comentário