quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Um Conto de Natal, Charles Dickens

Ebenezer Scrooge, um velho ranzinza que odeia o natal, como ele mesmo diz “e mais uma desculpa para não trabalhar e perder dinheiro”, mas como no natal tudo e magico e encantador uma longa noite estava prestes a começar e mudar para sempre a vida de Scrooge.

Um clássico de todos os natais que claro eu não deixaria de colocar aqui no blog, afinal amo o Natal! Criado por um dos grandes escritores ingleses, Charles Dickens, a obra conquista muitos leitores. Como uma narrativa simples e com algumas reviravoltas este virou um de meus livros favoritos, não pense como uma leitura enfadonha, mas muito divertida e bem reflexiva. Nesta estória Dickens faz uma critica forte a uma sociedade avarenta e mesquinha na qual viveu e que repercute ate hoje se tornando atemporal. Onde o protagonista e o vilão da estória. Um senhor muito idoso que conseguiu acumular tanta riqueza quanto ódio no coração por muito tempo, porem tudo tem limite e ele precisava de uma sacudida para reparar seus erros e injustiças.

Como a estória e pequena não irei me alongar muito no enredo, caso queira saber mais mesmo assim leia a resenha do filme que fiz no blog AQUI, este filme ficou muito bem adaptado e fiel ao livro.
Acredito que Charles Dickens não só quis chamar atenção para o natal, época de se confraternizar, perdoar e etc, mas trazendo uma reflexão para vida, que não precisa de uma época especifica, mas uma auto avaliação de como ser humano o que se pode fazer pelas pessoas e que automaticamente você faz por si próprio. Como gratificante e viver em paz sem rancor, e que com pouco pode ser feliz dependendo de cada um.

Como e de praxe desejo a todos um feliz natal e que você não pare e só faca sua boa ação neste época, mas torne-se um habito por toda sua vida. Que este não seja só para ser família neste dia, mas todos os dias do ano!!!

Feliz Natal!!!!

Quote:
“Por isso, titio, embora o Natal nunca tenha colocado uma moeda de ouro ou de prata no meu bolso, ainda acho que ele me fez – e fara, ainda – muito bem. E que Deus o abençoe!” Pag.: 19 

Um comentário:

  1. Oii!
    Já tinha ouvido falar sobre esse grande escritor, em como ele é maravilhoso mas nunca li nadinha dele :/
    Agora já sei o que vou ler nesse comecinho de ano. Adorei a resenha :)
    beijoss
    Sublimar-me

    ResponderExcluir