Páginas

sábado, 28 de julho de 2012

Perfil do Autor #8 - Ju Costa

Nasceu em 06 de maio, em Recife. Em 2011, aos 22 anos publicou seu romance de estréia: "Agnus Dei". O primeiro livro da série "A Idade do Sangue"
Às vezes eu sou simples, às vezes eu sou complicada. Às vezes eu conto piadas que ninguém entende, às vezes eu não entendo as piadas que os outros contam. Às vezes eu detesto filmes que todo mundo adora, e às vezes eu adoro filmes que todo mundo detesta. Às vezes eu sou rasa e superficial, às vezes eu sou profunda e metafísica. Às vezes eu gosto de escrever alguma coisa, às vezes eu gosto de escrever muitas coisas. Às vezes eu tenho vontade de ler um pouco, e às vezes eu não consigo parar de ler.

Se alguém me pedisse para escolher cinco livros, eu diria: Crime e Castigo (Dostoéivski), As Intermitências da Morte (Saramago), A Higiene do Assassino (Nothomb), A Menina que Roubava Livros (Zusak) e Memórias Póstumas de Bras Cubas (Machado de Assis). Mas, ainda bem que ninguém nunca me pediu para fazer essa escolha, porque eu não conseguiria viver sem as outras milhares de histórias que eu amo tanto.


Agora confira a Entrevista que fiz com a Ju:


1.Como a estória surgiu? E seu desenvolvimento foi rápido ou demorou mais do que você esperava?
                Na verdade, ela não surgiu. Foi mais uma construção que levou uns 5 anos. A inspiração inicial... Aquela fagulha, sabe? Veio quando eu estava assistindo uma animação japonesa chamada Hellsing. E a partir daí eu comecei a trabalhar na ideia e desenvolver vários outros elementos.

2.Essa sua primeira edição de Agnus Dei é uma produção independente do autor. Como foi a busca por uma Editora para publicar seu livro?
                Foi bem complicada. Não tem muito espaço pro autor nacional, principalmente no caso da literatura fantástica que é um estilo bastante importado no Brasil, hoje. Eu recebi respostas de algumas editoras que se interessaram, mas nenhuma proposta me agradou. Algumas eram bem... vamos dizer “descaradas” na falta de uma palavra melhor (Hahahah) Isso até me assustou um pouco no começo, fiquei meio decepcionada com o mercado. Mas acabou passando. Fiz minha publicação independente, deu tudo certo. E agora, recebi uma proposta ótima da Grimório Editorial, uma editora que, por sinal, é a minha cara.

 3.Conspiração e políticas são temas abordados na sua obra, por que inserir esses temas numa obra de literatura fantástica?
                Eu gosto de conspirações! (hahahah) Tramas e reviravoltas, sabe? Segredos, mentiras e o que mais vier com isso. Acho que a narrativa fica mais interessante. Acho que aumenta a curiosidade e o interesse. Além de dar um toque de... digamos... “realidade” maior para um universo fantástico. Ver humanos e criaturas envolvidos em jogos de poder e ambição.

4.Qual seu personagem favorito e o mais odioso para você? E Por quê? Qual personagem deu mais trabalho para construir e desenvolver?
                Meus personagens favoritos são Maasi e Theresa! A maior parte das pessoas que já leu nesse barco comigo! (hahahaha) São as cenas que eu mais me empolgo para escrever. O mais odioso... não sei... Mesmo tendo alguns personagens bem cruéis, eu não tenho um personagem que eu deteste. Acho que minha perspectiva é diferente. Quando a pessoa lê, tende a não gostar do cara cruel, a detestá-lo até. Enquanto eu escrevo, meu objetivo é fazê-lo cruel. Então, nesse processo, quando ele faz algo realmente horrível, a sensação é mais de “orgulho”, sabe? (hahahaha) De conquista, do tipo: “É, consegui! O cara ficou muito do Mal!”.
                Maasi é, sem dúvida, o personagem que mais dá trabalho pra fazer. Isso porque ele é quem mais tem planos e planos. É difícil escrever uma cena de modo que passe a ideia de que ele tem segredos e intenções que ninguém conhece e ao mesmo tempo não contar quais são esses segredos e intenções. Por isso que eu acabei decidindo não contar cenas (ou pelo menos não muitas cenas) sob o ponto de vista dele.

5.O personagem Maasi, teve alguma influência de outros vampiros da literatura? Qual (is)?
                Lestat de Rice, Drácula de Stoker, o Drácula descrito por Wes Craven, também. Mas principalmente o vampiro Alucard da animação japonesa Hellsing.

6.A personagem Julie, tem traços de sua personalidade? Ou ela é totalmente fruto de sua imaginação?
                Acho que todos os personagens têm um pouquinho de mim. (hahaha) Alguns mais, outros menos. Alguns bem mais, outros bem menos. A Julie talvez seja a que mais se assemelha comigo, sim. Não é um retrato 100% fiel, até porque tive que modificar alguns traços da personalidade para encaixar melhor na história.

 7.A divulgação nos blogs literários esta tendo um bom resultado? Como é sua relação com os blogueiros?
                Os blogs literários são uma mãe para novos escritores tentando conquistar algum espaço. O pessoal tem sido ótimo, super simpático, acessível, interessado. E é através deles que as pessoas ficam sabendo sobre o livro. Principalmente no caso de autores estreantes, como eu, que fazem sua edição de forma independente e não tem a estrutura de uma editora por trás para ajudar na divulgação. Você, por sinal, é uma das mais especiais, Dany! É sempre um prazer imenso ler suas publicações sobre Agnus Dei aqui no ‘Palavras Prolíferas’. Sem onda.

8.Qual Feedback que esta tendo depois da leitura das resenhas do seu livro Agnus Dei?
                As pessoas estão gostando da leitura. Eu podia tentar descrever o quanto eu fico feliz com isso, mas ia ser difícil! (hahahah) O mais importante são as críticas, sabe? As pessoas falam sobre diferentes detalhes que não gostaram, ou algo que poderia ter sido melhor, ou algo que “ficou faltando”. Essas são as partes que eu leio com mais carinho. Foi meu primeiro livro, seria hipocrisia minha dizer que ficou perfeito. Perfeito não existe. Eu fiz o melhor que eu podia. As pessoas gostaram, mas tiverem críticas a fazer.  E é importante conhecê-las para saber onde e como posso melhorar nos próximos livros.

9.Quando poderemos esperar pela continuação do livro?
                Vai depender da editora. Eu pretendo terminar de escrever até o fim de agosto. Falta pouco agora. Mas aí o manuscrito vai pra editora para começar o processo de revisão, correção, diagramação, produção da capa... Então, é difícil dizer com certeza.

10.Deixe uma mensagem para os leitores do blog.
                Leiam muito e escrevam sempre que tiverem tempo. Eu sei que existem coisas melhores que literatura, mas acho que não são muitas! (hahahah)
                Querendo falar comigo sobre algo que gostou ou detestou no meu livro, sobre o livro de outra pessoa, sobre um livro que você escrevendo e quer ajuda, sobre um filme que você viu essa semana ou sobre o clima: meu email é juliec.costa@gmail.com , meu facebook é http://www.facebook.com/ju.costa.7967 e meu twitter é @JuCosta_Fantasy . Pode ficar a vontade pra me adicionar, que a gente bate um papo.
                Beijos pra todos! =D

Comentem e deixe sua opinião sobre a entrevista, e se interessou entre em contato com a autora e conheça mais sobre sua obra e dicas para novos escritores.
Resenha e Sinopse do livro: Agnus Dei, AQUI

4 comentários:

  1. Que legal a entrevista, Dany!
    Não é novidade pra você e pra própria Ju que eu amei o livro e estou esperando a continuação. Acho que é um livro que merece ser divulgado, principalmente porque é bem escrito.
    Estou super curiosa para ver como ficou com a edição da Grimório.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Paula Camargo Souza4 de agosto de 2012 20:45

    Já ouvi falar dessa autora,mas infelizmente nunca tive oportunidade de ler o livro,vou tentar lê-lo

    ResponderExcluir
  3. Nossa que entrevista ótima. Achei super completa, ainda quero ler o livro dela.

    ResponderExcluir
  4. Muitooo boa a entrevista viu!
    Ela parece ser muito fofa e bem simpática.

    ResponderExcluir