terça-feira, 8 de setembro de 2015

Resenha: Psicose, Robert Bloch

Edição de 1961
Livro escrito na década de 50 e que faz sucesso até hoje, virando um clássico de terror e suspense. A estória começa com a Mary Crane, secretária de uma imobiliária, que é incumbida pelo seu chefe a depositar 40 mil dólares de uma venda que ele fez. Como é uma sexta-feira a Mary pede pra quando depositar poder ir para casa por não estar se sentindo bem. A Srta Crane resolve sumir com o dinheiro, indo ver seu namorado que estar cheio de dívidas, e com esse dinheiro ela pensa em solucionar as dívidas e se casar com ele. Indo de carro, Mary acaba se perdendo e indo parar no Bates Motel, resolve descansar por conta do grande temporal que esta fazendo. Chegando no motel, ela conhece Norman Bates, que é um senhor com seus 50 anos que gere o motel junto com sua mãe, a partir daí a trama se desenrola.

O autor, Robert Bloch, ao criar este livro se baseou num psicopata da época, que gerou polêmica entre os americanos por sua crueldade nos crimes, então foi criado o livro Psicose. De início pensei que a personagem principal fosse a Mary Crane, porém com o passar da leitura fica claro que o protagonista na verdade é o Norman Bates.
A narrativa é fluída, mas o livro não é fácil de ler, por suas nuances, crueldade e drama também. Os assassinatos que acontecem no livro são muito cruéis que, pelo menos para mim, foi difícil de digerir.

Cada personagem tem sua importância, mesmo as breves participações, como disse tem assassinatos então não se apegue à eles. Os capítulos são alternados, então temos vários pontos de vistas, que além de ter você ficar sabendo o que esta acontecendo, temos também a vida de cada personagem contada por eles mesmos. Mary Crane que é a primeira que narra, nos conta sua vida desde sua adolescência até seu presente momento, contado o que passou e passa para manter sua família e num ato de desespero e muito cansaço ela se apodera desses 40 mil dólares do seu chefe. Sam Loomis, namorado da Mary, também não tem uma vida fácil, pois herdou uma loja de ferragens quando seu pai morreu, porém cheia de dívidas que ele tenta saldar. Norman Bates narra boa parte da estória, sendo o protagonista, ele é um personagem que você não consegue confiar no que ele esta contando, levando o leitor a se questionar se aconteceu desta maneira, se realmente aconteceu, e qual é a verdade mesmo. Personagens que tem suas peculiaridades e muito bem construídos.


Um livro cheio de nuances, que vai do romance, terror, suspense e drama. Confesso que me surpreendeu e me agradou a leitura em alguns aspectos e outros não, pois não sou fã do gênero. Um livro bem escrito com um desfecho sensacional, se você for fã do gênero recomendo a leitura, caso não, também recomendo pela trama e escrita do autor, pode te surpreender.

Nenhum comentário:

Postar um comentário