segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Resenha: Contato, Carl Sagan

Ellie sempre foi uma garota curiosa e bem a frente de seu tempo. Em meio a muitos preconceitos e barreiras ela se torna um brilhante cientista, e na ciência Ellie sempre teve certeza com seus fatos e comprovações, mas como explicar o impossível e o improvável.

Nossa protagonista sempre em busca da verdade com seus fatos, provas e dados, convicta de que não estamos sozinhos, que em outros planetas, galáxias e mundos existem outros seres superiores que os humanos. E com esta certeza Ellie segue uma carreira brilhante de cientista. Diretora do Projeto de Radiotelescópio ela embarca nessa jornada de descoberta de outros seres e estrelas distantes através de ondas de rádio. E depois de muito estudos e trabalho a Estrela Vega(Essa estrela realmente existe) retorna numa frequência de rádio com uma mensagem que viajou 26 anos-luz até chegar na terra e é daí que toda problemática e discursão do livro começa. Será que esta mensagem é de Deus? Do diabo? De alienígenas? De quem ou o quê, finalmente?

Minhas expectativas com a leitura deste livro eram bem baixas, confesso que achei que não iria entender nada. Mas foi um livro surpreendente, o livro tem sim suas teorias baseadas na física, afinal Carl Sagan era astrônomo e disso ele entendia bastante, porém o livro não traz somente isso, trazendo questionamentos de várias vertentes como: filosóficas, éticas, religiosas e outras. Até os títulos dos capítulos são interessantes, o autor ao iniciar um capítulo ele aborda o tema do mesmo e explora de maneira inteligente e que te faz refletir bastante sobre diversos assuntos. De início não fluiu a leitura, mas quando tomei gosto pela narrativa, que foi depois da página 100, foi uma leitura muito prazerosa e de até autoconhecimento. Na trama também é encontrada muitas passagens emocionantes, que realmente sensibilizam o leitor.

Sagan descreve personagens muito interessantes, tão humanos que são bastante críveis. A protagonista Eleanor Arroway é uma mulher de vanguarda, que não vê limites na sua busca de conhecimento e verdade. É claro que por ser mulher muito preconceito e machismo é narrado ao longo do livro. Uma personagem forte, que embora demonstre sempre muita certeza e convicções ela tem seus próprios questionamentos sobre tudo, mostrando uma característica básica do ser humano: dúvida, seja o indivíduo homem ou mulher. Nesse meio machista temos o Professor Drumlin, personagem detestável, mas que foi necessário na trama. E o meu favorito: Palmer Joss, religioso mais sensato que já ouvi falar, ele não descarta tudo, porém não acredita em tudo, personagem que pondera, medita e sabe falar e expressar. O livro está cheio de personagens interessantes que eu escreveria páginas e páginas para falar sobre cada um deles e seus papéis fundamentais na obra. Entre eles o excêntrico Hadden, fascinante e egocêntrico ele rouba cenas, detentor de muito dinheiro é capaz de muitas coisas e nas suas passagens a ética é muito refletida pelo leitor.

Como no filme (Contato 1997), o livro tem um final surpreendente de maneiras diferentes, mas acredito que para mim a mensagem foi a mesma. Não estou dizendo que filme e o livro são iguais, porém trazem mensagens que te conduzem ao mesmo questionamento e reflexão. Livro que recomendo para qualquer pessoa, e que com certeza faz o leitor mudar algumas questões e pensar seriamente em outras.

Quote:
“Escute, quero lhe pedir uma coisa. Mas não sou bom para pedir. Nunca fui. Minha imagem pública é a de uma pessoa rica, engraçada, inescrupulosa... uma pessoa que procura fraquezas no sistema para ganhar dinheiro fácil. E não me diga que não acredita em nada disso. Todo mundo acredita em pelo menos uma parte.” Pág.: 228 (Hadden conversando com Ellie) 

Assista ao Trailer do Filme:

Nenhum comentário:

Postar um comentário