segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Resenha: Minha Vez de Brilhar, Erin E. Moulton

Sabe aqueles filminhos infantis sessão da tarde anos 90, é o que você vai encontrar na leitura deste livro, com direito à muitas cenas divertidas, doces e emocionantes.

A estória é focada mais na garotinha Indie(acredito que tenha 10 anos ou menos), ela mora em Plumtown uma cidade praiana e pelos detalhes bem bonita. Indie tem uma irmã um pouco mais velha que resolveu se enturmar e querer ser mocinha. Com isso ela quer perder todo aquele comportamento infantil e acha que Indie pode atrapalhar esta mudança, portanto Bibi cisma que sua irmã tem que mudar também para as duas poderem se dar bem e continuarem sendo melhores amigas. Mas será essa a decisão certa mudar para poder ser aceita por uma pessoa e grupos? Nem toda mudança é fácil ainda mais para uma criança tão meiga e sonhadora com nossa protagonista principal.

A autora já virou uma de minhas queridinhas em livros infantis, esse é o segundo livro dela que leio( o primeiro livro dela tem resenha, A Jornada AQUI). Erin E. Moulton tem uma escrita simples, delicada e sensível que me conquistou de vez. Ela realmente entende a natureza de uma criança e escreve para este publico, que não quer disse que alguns adultos, como eu, não possam ler, que me remete a uma certa nostalgia. Sem grandes pretensões ela cria um enredo de conteúdo de reflexão e diversão. Nesta estória podemos encontrar amizade, aventura, bulling e amor.
A Erin, em sua narrativa, pude sentir o vento da praia no rosto, sentir a maresia típica de cidades costeira, e é muito bom quando uma autora consegue te passar esta sensação, inserindo o leitor na estória.
Para começar Indie tem uma lagosta dourada de estimação( que é um raridade), mas por algum motivo, que devo dizer bem louco e divertido, ela acaba perdendo esta lagosta e daí começa a tentar trazê-la de volta. Em volta disso tem sua irmã Bibi com toda essa questão de querer ser a mais velha, crescida, e querer mudar a irmã para não passar vergonha na frente de seus novos amigos descolados. Então entra um novo personagem: Owen, garotinho nerd que as vezes é muito atrapalhado e não é bem quisto pelos novos amigos de Bibi. Mas será que Indie vai negar esta grande amizade que começa a formar com Owen?

Durante o decorrer da leitura a autora cria uma trama simples que faz você relembrar um pouco do seu tempo de infância, e pensar em como o bulling pode fazer uma criança bem infeliz, e que certas atitudes você tem que passar para aprender a ser melhor e que a vida é um aprendizado, que a melhoria vem gradativamente.
Há muitas cenas doces e bem infantis que me renderam muitas risadas, claro que também nos é apresentadas cenas sensíveis e outras tão tocante que me emocionaram(é... eu chorei). Indie e Owen são meus personagens favoritos, principalmente o garotinho Owen que com seu jeito meio desajeitado e doce me conquistou por completo.
O final é bem arrematado, mas senti falta de um pouco mais, acho que fiquei tão eufórica com o final que queria mais dessa turma.

Um romance infanto-juvenil que indico para todas as idades, com temas bem atuais e que te fazem refletir, te dar também uma nostalgia que aquece o coração e personagens que vão te fazer se apaixonar pela doçura e sensibilidade.

Quote:

“Fico atenta às estrelas cadentes. Quando Bibi e eu éramos um pouco menores, observávamos as estrelas juntas e, se avistássemos uma estrela cadente, só uma de nós fazia um pedido, porque no fim sempre desejávamos a mesma coisa. Era justo cada um ater a sua vez. Pág.: 39”

Nenhum comentário:

Postar um comentário