Páginas

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Resenha: Orgulho e Preconceito e Zumbis

Sinopse - Orgulho e Preconceito e Zumbis

Orgulho e preconceito e zumbis é uma versão ampliada do popularíssimo romance de Jane Austen, trazendo cenas inéditas com zumbis partindo crânios de pessoas vivas para devorar seus miolos. Na abertura desta história, ficamos sabendo que uma misteriosa praga se abateu sobre o tranquilo vilarejo de Meryton, na Inglaterra – e os mortos estão retornando à vida!

Nossa implacável heroína, Elizabeth Bennet, está determinada a eliminar a ameaça zumbi, mas logo sua atenção é desviada pela chegada do altivo e arrogante Sr. Darcy. O que se segue é uma deliciosa comédia de costumes, repleta de civilizados embates entre os dois jovens enamorados – além de batalhas um tanto mais violentas, em cenas nas quais o sangue jorra fartamente.

Conseguirá Elizabeth subjugar as crias de Satã? Poderá ela superar os preconceitos sociais da aristocracia local? Complementado com amor, emoção, duelos de espada, canibalismo e milhares de cadáveres em decomposição, Orgulho e preconceito e zumbis transforma uma obra-prima da literatura mundial em algo que você terá vontade de ler.



Todos sabem que é uma re-escrita do clássico romance de Jane Austen: Orgulho e Preconceito (que já li), e neste livro ele inova a história inserindo o elemento sobrenatural: Zumbis.

A história é ambientada em Londres, e conta a vida das cinco irmãs Bennet, em destaque para Elizabeth, uma moça de vanguarda que fala o que pensa sem se deixar tolher pelas regras da sociedade daquela época. Ela não aspirava casar-se, torcia e proporcionava o bem-estar da família. Ela treinou artes marciais com o mestre Liu na China, o que deixou minha personagem favorita do romance de Austen, “doida”. Estas passagens no livro de Elizabeth guerreira, trinada na China, deixaram-na variando das idéias. As outras quatro irmãs: Jane, Mary, Kitty e Lydia também lutam e se unem para enfrentar os ataques das “crias de satã”. Sinceramente não consigo imaginar a doce, meiga e delicada Jane lutando com espadas e tudo o mais, muito menos neste livro.

O Sr. Bingley não deixou de ser bobo, que esta em companhia do Sr. Darcy, um grande guerreiro que se apaixona por Elizabeth Bennet. O Sr. Darcy não foi muito diferente do romance, particularmente gostei muito dele como guerreiro. Quando ele pede Elizabeth em casamento, é muito engraçado, porque a “doida” da Lizzy queria brigar com ele por esta ousadia e acerta-o com um dos seus golpes mortais voadores. Pobre Sr. Darcy que não sabe o que fazer no chão e machucado.

Depois disso os zumbis dão uma parada na história, o que acabou com esta versão sobrenatural. E o que restou do livro foi o romance.

De alguns destinos dos personagens, o que menos gostei ( na verdade odiei), foi o de Charlotte Lucas, a melhor amiga de Lizzy. Ela não merecia este final, eu detestei o que fizeram com ela neste livro. O final do Sr. Collins, foi “tenso”, mas como nunca simpatizei com ele, então não fez a menor diferença.

A narrativa não é tão rebuscada, como Austen é, e me empolgou no início, porém do meio do livro para o final eu custei a terminá-lo. Porque o sobrenatural que eu esperava tanto ficou de lado pelo autor, e Austen eu já tinha lido.

Eu não indico o livro, principalmente se você esperar mais pelo encaixe sobrenatural. E se for fã de romances clássicos é bem melhor só ter lido Austen, o qual gostei do livro e do filme adaptado da obra.

3 comentários:

  1. Eu confesso: não tenho vontade de ler esse livro. Gosto mesmo é da versão original (que eu amoooo) e se já não queria ler antes, agora é que não quero mesmo!

    ResponderExcluir
  2. Já tinha ouvido falar do livro e nunca tive vontade de o ler, sempre me pareceu que era muito "sem noção", a resenha foi bem sincera e confirmou o que eu já pensava, se antes eu não tinha vontade de o ler, agora é que não tenho mesmo, dificilmente o peguerei para ler em alguma ocasião da minha vida, prefiro ficar com o meu "Orgulho e Preconceito" que eu amo mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Beatriz do Rosário6 de julho de 2016 14:25

    Eu confesso que odiei essa trama, se eles querem uma história com Zumbis que criem suas próprias histórias para que estragar um romance tão lindo? Orgulho e Preconceito é ótimo do jeito que é.
    Fico me perguntando se quem escreveu o livro achou que a história precisava de ação e todas essas coisas, porque estava muito chato? Tem gente que ama Orgulho e Preconceito e eu sou uma dessas pessoas.
    Para isso quem não gosta de muito romance e prefere mais a ação, que faça sua história de ação,mas não fique modificando a dos outros. Sou escritora e eu não iria gostar que alguém colocasse zumbis nas minhas obras.

    ResponderExcluir