Páginas

sexta-feira, 11 de março de 2011

Resenha do Filme PERSUASÃO

A primeira linha dessa resenha PRECISA ser sobre minha insatisfação na escolha da atriz principal para esse filme. Não é querendo devagar sobre beleza, mas é fato que existem atrizes com cara de coadjuvante, até jeito e ar de coadjuvante, e quando colocada como atriz principal, deixa um buraco no filme. Foi o que aconteceu com a atriz Sally Hawkins ao interpretar a doce e meiga Anne Elliot. Ela simplesmente se sufocou no papel. Mesmo sendo boa atriz, acredito que o papel foi maior que ela, e acabou deixando tudo muito a desejar. E junto ao Capitão Frederick Wentworth (Rupert Penry-Jones), aí que ela se apagou mesmo.
Bem, ressalva feita, vamos a diante. O segundo ponto é: Quem é Rupert Penry-Jones e por que ele não está em filmes de renome, ou pelo menos casado comigo, alguém explica? (kkkk) Eu sempre projetei Frederick Wentworth um moreno lindíssimo, mas aquele loiríssimo do filme extrapolou qualquer projeção que eu possa ter feito após ler o livro. Ele deu um show, apesar de um roteiro simplista do diretor Adrian Shergold. Pois é, achei o filme simplista em relação ao livro, obviamente – é o mau da maioria deste tipo de filme. Acho que faltou explorar mais a relação passada dos dois, ou pelo menos terem se dedicado a fazer o final do filme mais intenso. Mas no final das contas, o filme é ótimo para quem já leu o livro. Não recomendo só assistirem ao filme, pois vão perder toda a graça da história.
Quanto ao enredo, tanto do livro quanto do filme, é simplesmente sem palavras, né? Jane Austen dispensa recomendações e elogios. Mas para quem não leu nem assistiu Persuasão, posso resumir que é uma linda história de um amor que foi intenso, depois foi totalmente desprezado, teoricamente sucumbido, até acontecer a esperada redenção. Pode até parecer clichê, mas vale muito a pena ler essa história. Por mais diferente da Anne Elliot que eu seja, – na verdade me identifiquei muito mais com a Elizabeth Bennet de Orgulho e Preconceito (outro livro, requer outra resenha qualquer dia desses), não tem como você não se colocar no lugar dela, por baixo de todo aquele seu jeito comedido, gentil e doce. É simplesmente um romance incrível. Fica a dica.
Aldrêycka Albuquerque

Agradeço  à @Dreycka, minha prima, por escrever esta resenha em contribuição para o desenvolvimento do blog. Espero que esta seja a primeira de muitas resenha que você fará aqui no blog, vale ressaltar que você tem uma maneira fantástica de escrever que particularmente sou fã (momento babação!!rsrsrsrs).

P.S. Aldreycka também tem blog, se interessar siga-a:

Another Thoughts
O EStranho Curioso

10 comentários:

  1. uahhauhauhua

    Valeu prima!!!! Assim que eu ler o livro que vc me emprestou, e que por coincidência é o livro indicado do mês aqui no blog, faço outra resenha.

    Bjsssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. É, filmes são normalmente simplistas em relação aos livros que os originaram. Por isso prefiro os livros. Na minha opinião (e claro que ninguém é obrigado a concordar) só um caso dos que vi foge a regra. Curiosamente, li "As Crônicas de Nárnia" (todas elas) e gostei mais dos filmes (os 3 lançados até agora). Apesar de toda a aventura, achei a narrativa um tanto monótona. Já os filmes parecem ter mais ritmo e mais ação. Mas de uma forma geral, sempre que se vê só o filme, se perde muuuuuuuito da história, principalmente no que concerne ao íntimo das personagens!

    Adorei a resenha!

    Bjks!

    ResponderExcluir
  3. Eu estou terminando de ler Orgulho e Preconceito, eu me apaixonei perdidamente por Jane Austen, não vi o filme do livro, vi só o de Razão e Sensibilidade, mas deveria ter lido o livro primeiro... E pelo que vi na resenha prefiro esperar ler primeiro Persuasão para depois ver o filme, a história parece ser muuito boa, to ansiosa para conhecê-la. E quanto a atriz principal, geralmente isso acontece muito, a atriz escolhida não ter a ver com a personagem em si, infelizmente parece que todo mundo percebe isso menos quem a escolheu --' rs. Mas acredito que a história compense ^-^
    E muito obrigada pela resenha, ficou ótima!

    ResponderExcluir
  4. Paula Camargo Souza8 de agosto de 2012 10:35

    Eu como sempre perdida nessas resenhas de filme,tenho um conhecimento minimo sobre filmes! Mas parece um bom filme

    ResponderExcluir
  5. Olá, Senhoras! Bem, hoje, ao assistir ao filme "A casa do lago", me deparei com a sugestão instantânea da atriz principal, Sandra Bulock, de uma leitura interessante: "Persuasão!" Daí, pesquisando algo sobre o assunto, encontrei esta resenha, me chamou a atenção, fiquei curioso e vim comentar! Bem, lerei o livro... Venho, como vocês, incentivar, deixar o meu apreço aqui, e agradecer também a vocês! Paz & bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eros tb tô louca pra ler o livro, eu vi o filme e gostei muito, embora a atriz não seja uma de minhas favoritas. Mas jane Austen sempre nos faz refletir, uma escritora a frente do seu tempo que traz reflexão e emoção em seus livros até hoje.
      Obrigada pelo seu comentário.
      Bjos!!!

      Excluir
  6. kkkkkkkkk ri muito sobre os cometários do capitão... descreveu por o que achei dos atores... a parte do estar casado com vc foi hilário kkk! Mas, filmes assim são uma delícia.

    ResponderExcluir
  7. Eu discordo de vc com relação a atriz principal. Achei que ela interpretou bem Anne. Lembro que a primeira vez que vi o filme senti a agonia dela sabe. E acho que na verdade é esse o objetivo do filme/livro nos fazer SENTIR o mesmo dos personagens.
    E quanto ao Rupert, concordo muuuuuuuito!

    ResponderExcluir
  8. Também acho que a Sally passou toda a emoção da personagem com sua interpretação,não consigo imaginar outra atriz interpretando a Anne além dela.

    ResponderExcluir
  9. Olá!!
    Que legal ler uma resenha sobre o filme! Faço das minhas palavras as tuas.
    Concordo sobre a atuação da atriz não ter sido muito boa, e por isso fui ver o filme Persuasão de 1995, essa Anne me agradou mais! Hehehe, mas o Capitão do de 2007... sem palavras! =)

    ResponderExcluir