domingo, 15 de novembro de 2015

Resenha: Onde Cantam os Pássaros, Evie Wyld [Por Maribook]


          Em pensar que uma mera escolha, decidida em um momento consciente ou não, pode influenciar significativamente na vida de uma pessoa, desencadeando uma sucessão de fatos; penitências, que nos levam a questionar; até que ponto são merecidas ou não? Qual o tempo suficiente para se pagar por um pecado?

          Onde cantam os pássaros nos apresenta um cenário idílico, pastoril. Uma remota ilha britânica, aparentemente segura, lugar onde Jake Whyte administra sua fazenda em companhia de seu fiel amigo Cão e de suas preciosas ovelhas, por quem tem um forte sentimento de apego e proteção.
         Jake é uma mulher prática, forte e determinada, porém logo de início, percebemos está envolta em solidão e mistério. Mistério que se estende para além do fato, de ninguém conhecer Jake e seu passado, e propaga-se para misteriosas evidências de mutilação e assassinato. Tudo porque, alguém ou alguma coisa, vem matando brutalmente as ovelhas de Jake.

        Em meio a circunstâncias presentes, somos também capturados por um retrospecto na vida da personagem, de modo que no fim, chegamos ao começo de sua história, e que história! Circundando Jake, conhecemos Don e Lloyd respectivamente um vizinho sarcástico e prestativo, e um invasor enigmático e peculiar.
         Esta narrativa de Evie Wyld, compõe uma obra intensa, repleta de provações. Um indício de que a vida pode ser voraz e que afinal, caberá a você decidir se vai lutar, ou não. Com uma linguagem curta e direta, Wyld nos provoca reflexões, pensamentos inquietantes. Cenas de temor, curiosamente envoltas por uma frase “O olho humano percebe movimentos antes de qualquer outra coisa”.

        Uma leitura rápida e instigante, a curiosidade nos move, a desvendar página por página, em busca da trajetória de Jake. Ao meu ver, o livro nos fala sobre consequências, sobre ser forte o suficiente para lidar com o seu próprio eu, assumindo que a pessoa que somos hoje, foi construída a medida do tempo vivido, dos percalços sofridos e que por mais culpados que sejamos, merecemos também um apoio, um amigo.


por Maribook

Nenhum comentário:

Postar um comentário