segunda-feira, 13 de julho de 2015

Resenha: A Playlist de Hayden, Michelle Falkoff


Não é fácil passar pelo ensino médio, ainda mais quando seu melhor amigo tira a própria vida, depois de tanto bullying.

O livro começa falando de quando Sam encontra Hayden morto no seu quarto, do impacto de ver seu melhor amigo morto, e pior um suicídio que até então Sam não entende porque o amigo tomou medidas tão drásticas. É aí que ele encontra um pen drive com músicas e com um bilhete: “Para Sam. Ouça. Você vai entender.” A partir daí Sam tenta entender o que realmente aconteceu com seu amigo, e ele não está sozinho, Astrid, que diz ter conhecido Hayden, começa a se aproximar de Sam e com isso vários segredos são revelado e uma rede de intrigas vem à tona, Sam vê que realmente não conhecia totalmente seu amigo.

Com seu primeiro livro, Michelle Falkoff nos traz um universo nada desconhecido de nerds, músicas e bullying. Mas de uma forma que te faz refletir e que essas situações apresentadas no romance não estão tão longe de nossa realidade. Cada capítulo inicia-se com uma música que Hayden deixou na sua playlist e que se encaixam perfeitamente ao capítulo descrito, as músicas são as mais variadas possíveis de Nivarna, Link Park, Elvis Costello, Metálica, Florence the machine e dentre outros. Sua narrativa de início não me cativou muito, achei que a autora estava enrolando no começo, porém ela estava apresentando melhor seus personagens e ambientando muito bem o leitor a toda trama e personagens.
Seus personagens são bem humanos e de muita profundidade, que de início não pude sentir, mas conforme a trama vai sendo desenrolada e as peças vão se encaixando o romance toma um ritmo contagiante que te faz ficar horas lendo até chegar ao desfecho da estória.

Um tema bem polêmico que a autora aborda é o famoso “bullying”, que tem sido palco de muita desgraça e tristeza para nossa sociedade atual. Aqui no livro podemos acompanhar o que levou Hayden a decidir acabar com a própria vida, como motivo de acabar com tudo isso e ficar “em paz”. Acredito que muitas pessoas possam se identificar com as situações que são apresentadas no livro, eu mesma tive essa identificação na minha infância e percebi que o bullying não mudou, foram as pessoas, que os sofrem, que mudaram de tal forma a não aguentar tanta pressão e medidas com as de Hayden serem mais frequente hoje em dia.

Eu confesso que terminei o livro com um nó na garganta, principalmente pela densidade de seus personagens, pelo conteúdo do livro e percebendo o quanto novos são os personagens que passam por isso e como é para um adolescente viver essa agressão e lidar com isso. Terminei o livro querendo de alguma forma ajudar alguém que esteja passando por bullying, por que me deu uma aflição enorme de saber que mais pessoas como Hayden não vão ter uma segunda chance de superar, porque simplesmente escolheram não lutar mais e morrer.

Com uma dose de muita realidade e que sensibiliza o leitor, Michelle Falkoff nos apresenta seu primeiro livro que te faz refletir bastante e até um alerta para um assunto que é uma realidade bastante cruel.

“Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê.” Pág.: 44

Nenhum comentário:

Postar um comentário