segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Resenha: Ligeiramente Casados, Mary Balogh

Eve Morris teve muitas perdas em sua vida e o último golpe foi a morte de seu querido irmão. E quando ela menos esperava uma ameaça torna ela quase uma sem-teto, e num ato de desespero e sacrifício ela se casa com um homem que até então era um estranho.

Esse é o primeiro contato que tenho com a escrita da autora Mary Balogh, não criei grandes expectativas, mas foi uma leitura gostosa e surpreendente.
De início conhecemos a vida e rotina de cada protagonista, o ponto de vista dos dois é intercalado durante a leitura. Logo simpatizei muito com a personagem Eve, uma mulher bonita de extrema bondade e misericórdia, seus atos a definem como a boa samaritana, ela é abastarda e solteira e sempre colocou pra correr os pretendentes que seu pai arranjava. Ela se vê numa encruzilhada quando seu lar e abrigo de pessoas que dependem muito, pode ser usurpado dela, por uma cláusula no testamento de seu pai obrigando-a ser casada para poder herdar o lugar. E por muito amor ao lugar e as pessoas que dependem dela, Eve aceita uma proposta que irá contra seus princípios.
Aidan Bedwyn, fez a promessa no leito de morte de Percival Morris, que iria cuidar de sua irmã Eve, custe o que custar. E cumprindo esta promessa ele se casa com Srtª Morris, só de aparência para que ela não perdesse seu lar e assim honrando sua promessa.
No decorrer da leitura houve muitas partes que odiei o Aidam, achava ele arrogante, prepotente, ridículo e sem coração. Mas claro que foram só primeiras impressões que depois foram sendo mudadas, com cada atitude e amadurecimento do seu relacionamento com Eve.
A mocinha tem muitos altos e baixos e a cada capítulo fiquei muito fã desta protagonista forte, decidida e muito apaixonada. O Aidam teve que amadurecer um pouco e mudando para que eu pudesse ser conquistada por ele.

Os protagonistas tem uma certa química de início que eles não entendem e até negam, mas com a convivência eles se tornam mais próximos e com certas atitudes vão se conhecendo melhor e familiarizando com a presença de cada um. Eles têm uma personalidade muito forte e isso desencadeia muitas discursões acaloradas e aumentando a tensão sexual entre eles, mas claro que há passagens na estória em que cada protagonista se encanta e se apaixona pelas atitudes e decisões que tomam. A autora também quis mostrar os diferentes tipos de demonstrar carinho e amor, que não se transmitem apenas com beijos e abraços apaixonados, mas também em olhares, pequenas atitudes que fazem toda diferença ou até se sacrificando pelo bem do outro.

O livro tem cenas de sexo e até sensuais bem colocadas e condizentes para época. Com um final emocionante e muito sensível, a autora virou “diva dos romances” de época para mim e acredito que vai encantar e apaixonar muitos leitores com sua narrativa empolgante e delicada.

Quote:

“Parte da água que escorria pela face de Eve tornou-se morna. Ela secou o rosto e abaixou mais o capuz. Poderia, caso se permitisse tamanha indulgência, chorar e chorar até se sentir fraca e vazia. Pela perda de um homem honrado que jamais tornaria a ver, embora ele fosse para sempre seu marido. Pela perda do amor e do homem que não voltara para ela a tempo. Pelo irmão, cuja morte ela mal tivera chance de lamentar. Por um futuro que parecia assustadoramente vazio.”   Pág.: 101

Nenhum comentário:

Postar um comentário