Páginas

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Cabeça de Vento


A vida de Emerson Watts era normal e pacata, ela tinha um melhor amigo: Cristopher, o qual mantinha uma paixão secreta, e muito inteligente. Ela tem este nome por ser filha de professores e seu pai queria lhe dar o nome de um famoso poeta favorito seu, mesmo
sabendo que seu bebê era uma menina e sua mãe não se opôs, pois estava meio grogue pelos remédios e anestesia do parto.

Em nunca se preocupou com seu exterior usando sempre calça jeans e moletons, nunca mostrando seu corpo. Na escola não era uma menina popular, sempre se isolando em seu mundo, torcendo para que seu melhor amigo perceba que suas intenções para com ele é bem maior que uma simples amizade.

Em tem uma irmã: Frida de 14 anos, aspirante a "patricinha", a qual inferniza  a vida de Em com piadinhas maldosas sobre seu jeito de ser e se vesti. Tudo muda quando na inauguração da Loja: Stark Megastore e a modelo Nikki Howard dá o ar de sua graça. Neste evento vão manifestantes contra esta Megastore e lá provocam um grave acidente, no qual Em se fere tragicamente e Nikki também é hospitalizada. Um mês depois quando ela acorda vê que seu corpo não é mais o seu.

Em Watts passa por muitas adaptações e começa a sentir na pele coisas que julgava fáceis e chatas, mas na realidade são bem mais complicadas e até divertidas. Nada como viver a vida do outro, literalmente para assim dar valor e respeitar a condição da outra
pessoa. a história dessas duas personagens: Nikki e Em, deixa você grudado nas páginas do livro não deixando o livro de lado até finalizá-lo. No final achei muito interessante, porque a escritora dá uma margem para você imaginá-lo e segundo alguns blogs que li a
resenha vai ter continuação, acredito que sim pelo final da narrativa, mal posso esperar a continuação.

Particularmente amei a linguagem do livro é bem simples e moderna fazendo com quê o leitor realmente absorva o que a autora quis passar. A temática é uma ficção de uma genialidade incrível e uma crítica à sociedade que dita seus padrões de beleza e felicidade.
Meg Cabot é uma escritora altamente aclamada no mundo literário e eu como leitora dou crédito às diversas outras resenhas, as quais falam muito bem de suas obras. É um livro que prende a atenção do começo ao fim (detalhe: li em apenas 3 dias), eu recomendo sem sombra de dúvidas, Cabot agora é uma de minhas escritoras favoritas, conquistando-me neste primeiro livro lido.

Trecho:
..." Foi quando percebi: Robert Stark me deixou falando sozinha! Ele simplesmente se afastou de mim, como se eu não fosse nada! Como
se eu nem estivesse...lá! Como se fosse apenas... apenas...
Uma modelo cabeça de vento".
                                                                              Cap.: 18 pág. 222

3 comentários:

  1. Hummm, coloquei na lista de desejos! Acabei de ler “Pegando fogo” da Meg Cabot. Gostei bastente também, mas esse me parece ser mais legal! =)

    ResponderExcluir
  2. Meg Cabot é uma das escritoras clássicas de adolescência, li muito seus livros quando era mais jovem, e claro, livros muito bons. Esse por sinal para ser bem interessante com essa "troca de corpo" da personagem principal e o quebrar de paradigmas que uma realidade sempre causa em outra, por essas propostas penso que é sim um livro que vale a pena ler independente da idade.

    ResponderExcluir
  3. Paula Camargo Souza7 de agosto de 2012 11:35

    Ah os livros de Meg Cabot podem ser comprados de olhos fechados né?! Adoro todos,ainda estou na luta para conseguir completar minha coleção do Diário da Princesa!

    ResponderExcluir