Páginas

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Opinião: O Livro dos Ressignificados, João Doederlein (@akapoeta)

Sendo bem leiga em poesia, me arrisquei nesta leitura sem nenhuma expectativa. Realmente peguei o livro só para folhear, porque seu projeto gráfico é muito bonito. E tal foi minha surpresa ao ser pega por uma avalanche emocional que não consegui parar de ler.
O livro tem muito de particular do autor, mostrando além do dicionário uma forma bem subjetiva de cada palavra.

Dividido em Jardim, Zodíaco, Coração, Mente, Cidade e a História de nós dois o leitor consegue se identificar com a subjetividade em cada palavra, de um jeito único e muito particular de cada um.
A cada parte em que é dividido, as palavras fazem e não fazem sentido, levando a reflexões e questionamentos que vão além da metafísica, transportando leitor do físico ao espiritual.

Como falei o projeto gráfico do livro é incrível de maneira simples, mas bem conceitual é bem agradável visualmente.
O livro abraça sua alma, da mesma forma que te dá um soco no estômago e esfrega aquilo que não queremos ver “bem na sua cara.”
Sem me estender, recomendo o livro, porque ele é uma experiência literária única e bem íntima, um livro que não pode e não deve ficar parado na estante, tem que ser compartilhado, ele tem que ser um livro viajante por este mar de emoções incríveis que são os seres humanos.

Um comentário: